Clique e assine por apenas 6,90/mês
Na Plateia Tudo sobre teatro

“Rapte-me Agora”: peça mostra encontros juvenis em meio ao superficial

A diretora Cynthia Falabella percebeu a simplicidade da dramaturgia de Ed Anderson e valorizou os diálogos na boca dos atores

Por Dirceu Alves Jr. - Atualizado em 7 fev 2020, 15h11 - Publicado em 6 fev 2020, 12h50

A peça, de título imenso, é singela, quase juvenil e trata de sentimentos comuns a muita gente. Escrito por Ed Anderson, o drama Rapte-me Agora — Deve Haver Vida Inteligente em Outra Parada de Ônibus mostra o encontro de um rapaz e uma moça (interpretados por José Sampaio e Michelle Boesche) em uma calçada enquanto ele aguarda o transporte coletivo. A garota age como se o conhecesse e não tem a recepção esperada. Diante do impasse, o autor desfila conflitos em torno da superficialidade das relações, das expectativas frustradas e da falta de comunicação.

+ Leia sobre “Sede”, dirigido potr Zé Henrique de Paula.

A diretora Cynthia Falabella percebeu a simplicidade da dramaturgia e valorizou os diálogos na boca dos atores. Como apoio à encenação, a iluminação de Marisa Bentivegna cria diferentes climas para o bom rendimento de Sampaio e, principalmente, de Michelle, uma atriz acostumada a cavar densidade mesmo em momentos, à primeira vista, pueris (60min). 12 anos. Estreou em 17/1/2020.

+ Sesc Santo Amaro — Espaço das Artes. Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro. Sexta, 21h; sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 30,00. Até domingo (16).

Continua após a publicidade
Publicidade