Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Cidade das Crianças Por Blog Os melhores programas para crianças e família espalhados por São Paulo. Por Maria Alice Prado (maria.alice@abril.com.br)

Um passeio memorável no Jardim Botânico

Se você mora na Zona Sul, já deve estar cansado de ir ao Jardim Botânico, também conhecido como um dos meus lugares preferidos em São Paulo. + Tecnologia com muita diversão – e sem gastar nada! Mas se sua casa fica longe dessa região da cidade, sejamos honestos, pode dar preguiça ir até lá, especialmente porque […]

Por Gabriel Bentley Atualizado em 26 fev 2017, 10h51 - Publicado em 11 ago 2016, 21h06
Theo conhecendo o Jardim Botânico (Foto: Reprodução)

Theo conhecendo o Jardim Botânico (Foto: Reprodução)

Se você mora na Zona Sul, já deve estar cansado de ir ao Jardim Botânico, também conhecido como um dos meus lugares preferidos em São Paulo.

Tecnologia com muita diversão – e sem gastar nada!

Mas se sua casa fica longe dessa região da cidade, sejamos honestos, pode dar preguiça ir até lá, especialmente porque não é supersimples de chegar, nem de carro nem de transporte público.

Diante desse cenário, te faço um pedido: tome fôlego, se planeje um pouco para fugir do trânsito e rume para esse lugar incrível com seus filhos. Vai ser um passeio memorável.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Tem um corredor de palmeiras logo na entrada. Tem jardins de cair o queixo três, quatro, cinco vezes. Tem estufas que impressionam e ensinam os pequenos.

No Lago das Ninfeias, não perca as flores que inspiraram Monet e as marrecas-pé-vermelho – o Theo pirou quando viu “o pato de bota”. Por ali também é um bom ponto para fazer um piquenique.

Continua após a publicidade

O nadador Michael Phelps também é um pai coruja

Na volta, se ainda estiverem com fôlego, vale uma visita ao Museu Botânico, para entender um pouquinho da história do parque.

Ah, um lembrete, não deixe de olhar para a copa das árvores no Jardim de Lineu. É por ali que vivem os macacos bugio do parque. Uma das vezes que fomos lá, achei que estávamos com sorte de vê-los pulando nas árvores  – as crianças ficaram maravilhadas.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Mas a sorte maior estava por vir: em uma das trilhas, vimos micos e filhotinhos. Imploramos para o Theo e a Liz controlarem a ansiedade e não saírem correndo atrás deles. Deu certo, fomos na pontinha do pé e vimos uma família “brincando” nos galhos. Foi lindo! Antes de ir embora, que tal uma foto na escadaria centenária do parque? Acho que super vai ajudar a guardar as boas lembranças na memória.

Descobrindo o melhor museu de São Paulo

Só para finalizar: como é um passeio que pode tomar uma período ou até um dia todo, vale um pouco de planejamento antes de sair de casa. Com crianças, chegar cedo nunca é demais para pegar o parque mais vazio.

Dependendo do clima, vale colocar um protetor solar e/ou repelente na bolsa. Um bom lanche também é indispensável – mas caprichado mesmo, porque andar dá fome! Se não rolar, há um restaurante bem razoável por lá também.

Continua após a publicidade
Publicidade