Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Cidade das Crianças Por Blog Os melhores programas para crianças e família espalhados por São Paulo. Por Maria Alice Prado (maria.alice@abril.com.br)
Conteúdo para assinantes

Artistas trazem os filhos para a rotina de trabalho durante a quarentena

Em casa, a garotada dança, apresenta podcast e até controla a agenda de gravações

Por Alice Padilha 24 abr 2020, 06h00

> O podcast Ideia de Criança nasceu motivado pela quarentena. O programa é apresentado por Thiago Queiroz e os filhos Dante, de 7 anos, e Gael, de 5. E não é por acaso que os meninos sempre tiveram interesse pelo formato: o pai está à frente de outros cinco podcasts, entre adultos e infantis, e auxilia na produção de mais três. No título familiar, o mote é “registrar conversas que eu já tinha naturalmente com eles sobre diversos assuntos”, explica Queiroz. Um dos episódios, por exemplo, debate por que irmãos brigam tanto. Eles pretendem continuar depois do período de isolamento? Quem decide são os meninos, Queiroz garante. Vai ao ar toda terça, às 8h.

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais.

Lara Valença/Divulgação

> Jorge, de 1 ano e 10 meses, tem feito uma pontinha nas lives da mãe, a escritora e compositora Mariane Bigio. “Eu tenho gravado no quarto dele, porque é mais confortável e o áudio é melhor, então ele acaba aparecendo. Mas, se não quiser participar no dia, tudo bem também, afinal ele não está ganhando cachê!”, diverte-se a moça. Ela conta que, mesmo com a pouca idade, o garoto já sabe sobre o coronavírus ou um fantasioso “monstrinho”, na sua versão.

> Filha de Luanda Eliza e Mauricio Damasceno, ambos da Banda Estralo, a pequena Amora, de 2 anos, já está acostumada com a rotina musical dos pais. “Na banda, somos cinco músicos e cinco crianças, então são elas quem decide a agenda. Para chamadas de vídeo, optamos por momentos em que os bebês estão dormindo”, explica Eliza. Na casa, as lives que saem todas as quintas no Instagram (@bandaestralo) são filmadas no quarto da menina. “Vem mais comentário para ela do que para a gente!”, brinca a mãe.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 29 de abril de 2020, edição nº 2684.
  • Continua após a publicidade
    Publicidade