Placa avisa sobre risco de roubo na ciclovia da Marginal do Rio Pinheiros

Ciclistas que trafegam pela pista exclusiva nas margens do Rio Pinheiros têm se deparado com uma placa que avisa sobre o risco de assalto na via. Não é para menos, no último dia 18 de abril, quatro pessoas tiveram suas bicicletas levadas por bandidos. Os assaltantes ficavam escondidos em um matagal e surpreendiam os ciclistas […]

placaciclovia

Ciclistas que trafegam pela pista exclusiva nas margens do Rio Pinheiros têm se deparado com uma placa que avisa sobre o risco de assalto na via. Não é para menos, no último dia 18 de abril, quatro pessoas tiveram suas bicicletas levadas por bandidos. Os assaltantes ficavam escondidos em um matagal e surpreendiam os ciclistas que passavam pelo local. Após tomarem quatro bikes, os criminosos deixaram a região. As vítimas, que haviam sido rendidos, conseguiram escapar e chamaram um carro da Polícia Civil.

Projeto de expansão das ciclovias custa mais que o triplo do previsto

Durante buscas em prédios da comunidade Real Parque, nas proximidades da Marginal Pinheiros, foram achadas dez bicicletas, com valores que chegavam a até 15 000 reais.

O grupo Bike Zona Sul, um dos coletivos que atuam pela segurança nas ciclovias, não soube informar quem pôs a placa com o aviso sobre roubos no local, mas afirma que a iniciativa é válida para alertar quem não é frequentador assíduo da pista e desconhece o risco.

O aviso está instalado na Ponte Cidade Jardim, no acesso ao trecho Oeste da ciclovia. “Nós nos preocupamos muito com essa situação da ciclovia do lado oeste do Rio Pinheiros, pois ela constitui uma importantíssima via de ligação para os ciclistas que precisam trafegar entre as regiões sul e oeste, além de servir para fazer o paulistano voltar a prestar mais atenção ao Rio Pinheiros”, afirmou o coletivo.

Ciclovia à beira do Rio Pinheiros gera reclamações de ciclistas

Procurada pela reportagem, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), responsável pela ciclovia, informou que, devido a uma obra na linha 17, a ciclovia precisou ser desviada na altura da Usina Elevatória de Traição e foi necessária a construção de uma pista auxiliar, não murada, o que torna o local mais vulnerável. A empresa diz ainda que mantém equipes de segurança no local para impedir roubos. (Por Pedro Henrique Tavares)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s