Clique e assine por apenas 6,90/mês
Bichos Tudo sobre o mundo pet por Veja São Paulo. Quer sugerir uma pauta? Envie para alice.padilha@abril.com.br

Páscoa: chocolate é totalmente proibido para cães e gatos

Não vale dar nem um pedacinho; saiba o que fazer no caso do pet ingerir o doce

Por Carolina Giovanelli - Atualizado em 29 mar 2018, 11h48 - Publicado em 27 mar 2013, 19h34

Muita gente sabe que o chocolate está no topo da lista de alimentos proibidos para os cães e os gatos. Mas não custa nada lembrar da restrição, ainda mais nessa época do ano. Não se pode agradá-los nem com um pedacinho, a quantidade dada só vai determinar o tamanho do estrago. Nas comemorações de Páscoa, o esquema é ficar de olho para ver se ninguém esquece a guloseima em cima da mesa ou caída no chão, tornando-se alvo fácil.

“O chocolate possui duas substâncias tóxicas para os animais de estimação, a cafeína e a teobromina”, explica o doutor Mário Marcondes, diretor clínico do Hospital Sena Madureira. “Elas podem causar diarreia, vômito, convulsões, taquicardia ou até levar ao coma ou à morte.”

Se por acaso o acidente acontecer, corra com o bichinho para a clínica veterinária, onde ele vai precisar inicialmente ficar internado para receber acompanhamento de suas reações e tomar soro. E deve-se levar junto o pacote do que ele ingeriu – assim, o médico fica sabendo a exata composição do alimento.

Se o dono não quiser deixar seu peludo de fora das festas da época, existem chocolates específicos para pets, que na verdade são imitações do doce. Lembrando que são petiscos para dar como recompensa ocasionalmente e em pouca quantidade.

A empresa V.I.P. Dog, por exemplo, produz guloseimas do tipo para os totós. No e-commerce Pet Love, a caixa de bombons crocantes da marca sai por 22,10 reais (120 gramas).

Continua após a publicidade
Publicidade