Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Bichos Tudo sobre o mundo pet

Como a alimentação natural pode melhorar a vida dos pets

A cachorrinha Amy, de 8 anos, se curou de uma severa dermatite depois de parar de comer ração

Por Maria Alice Prado, Barbara Demerov Atualizado em 7 out 2021, 22h23 - Publicado em 8 out 2021, 06h00

A onda fitness não atingiu apenas os humanos. Tutores de animais — especialmente cães — adotaram mudanças na alimentação deles e têm relatado que os benefícios são perceptíveis. A substituição de ração por refeições com legumes, vegetais, arroz e proteínas melhora a digestão, o peso e até mesmo o humor dos bichinhos.

Juliana Contrera Belé, veterinária especializada em homeopatia e nutrição animal, acompanha casos de cães que, segundo ela, encontram na alimentação uma base para viver com mais saúde. “A ração seca possui 10% de umidade, enquanto a comida tem 70%. Assim como acontece com humanos, o ato de comer bem traz qualidade de vida.

Uma cachorra (vira-lata com labrador) preta está deitada em um sofá. Em toda a parte dorsal dela, há falhas na pele, uma alergia que retira os pelos
A alimentação natural curou a cachorra Amy de uma grave dermatite: falhas em sua pele Divulgação/Veja SP

É comum as pessoas me relatarem que seus animais estão mais alegres. Eles emagrecem com facilidade e sentem prazer em comer. A nutrição está diretamente ligada ao bom funcionamento do intestino. Quando a substância é natural, o organismo reconhece e absorve melhor”, explica. É o que aconteceu com a nutricionista Silvana Freda e sua cachorra Amy, de 8 anos.

“Aos 2 anos ela começou a apresentar uma dermatite em todo o corpo. Com o acompanhamento nutricional, frutas e legumes entraram em sua rotina. Sem a ração, Amy se curou em seis meses”, conta. O cardápio pet considera idade, peso e tamanho e deve ser revisto anualmente, sob orientação.

COMO COMEÇAR?

Para introduzir uma rotina saudável de forma simplificada, a recomendação é preparar porções da semana em um único dia e armazená-las em tupperwares na geladeira. Juliana explica que, nas situações em que não é possível mudar a rotina por completo (como é o caso de animais de porte grande), a ração não deve ser descartada. “É possível mesclar ração com petiscos de frutas ou acrescentar carne ao prato. Hoje há rações mais frescas e naturais à disposição. Elas têm boa qualidade e são livres de grãos.”

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 13 de outubro de 2021, edição nº 2759

  • Continua após a publicidade
    Publicidade