O adestrador surdo que usa um pouco de libras nos treinos com os cães

“Minha deficiência não me impede de fazer o que amo”, diz Luiz Fernando Oliveira, que tem uma empresa própria do ramo

Deficiente auditivo desde a infância, Luiz Fernando Oliveira, 37, comunica-se pela fala, graças a sessões de fonoaudiologia, e sabe fazer leitura labial. Só em 2015 o jovem, formado em arquitetura, aprendeu a língua dos sinais. Dois anos antes, apostou em sua paixão: após um curso, abriu um negócio de adestramento de cães, a Caminho Canino.

“Minha deficiência não me impede de fazer o que amo”, diz. Ele usa um pouco de libras nos treinos com os pets, porém, caso apareça um tutor surdo, pode ensinar todos os comandos nessa linguagem. Sua base é o reforço de comportamentos positivos do animal por meio de petiscos.

Luiz Fernando Oliveira: ele abriu um negócio no ramo em 2013

Luiz Fernando Oliveira: ele abriu um negócio no ramo em 2013 (Arquivo Pessoal / Reprodução/Veja SP)

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 05 de junho de 2019, edição nº 2637.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s