Elas podem revolucionar seu guarda-roupas e necessaire em 40 minutos

Já ouviu falar em análise de cor? Testamos o serviço

A dupla de consultoras de estilo Thais Farage e Monica Boaventura contam com um serviço para lá de específico na capital: juntas, determinam para suas clientes quais cores combinam mais com seu cabelo, pele e olhos, conferindo assim um visual mais harmônico – e, por que não?, belo.

O serviço, chamado de análise de cor, ou análise cromática, dura cerca de quarenta minutos e custa 450 reais. A dupla (que já fez mais de 1 000 análises do tipo, cada) tem agenda apenas para os dias 7 e 21 de janeiro (fique ligado: as vagas costumam ser concorridas).

O serviço ocorre na Rua Girassol, 796, sala 10, Vila Madalena, mas é preciso cadastrar-se antes pelos e-mails contato@thaisfarage.com.br e monica@chameamo.com.br. Elas ainda oferecem um curso para ensinar a técnica. Sai por 1 500 reais e dura dez horas. As próximas datas são nos dias 22 e 23de janeiro. Qualquer pessoa pode fazer.

A análise de cor funciona assim: Thais e Monica cobrem a cliente com tecidos de cor cinza, para isolar as influências externas. Depois, vão passando diversos tecidos coloridos até encontrar uma seleção que realce a beleza de quem é “testada”. Ah, maquiagens podem atrapalhar o processo, então cara lavada é a palavra de ordem.

Ao final, você sai com um guia digital que explica como usar sua cartela de cor, no que você pode apostar ou evitar. Além de dicas de como combinar as tonalidades entre si. As descobertas são grandes: cores tidas como básicas, caso de preto, branco, marrom e bege, por exemplo, não são tão versáteis assim para todo mundo.

Encontrei as duas em julho passado para fazer a minha análise. À época, escolhi fazer com elas por ter um preço atrativo em relação ao que cotei em outros lugares (mas não lembro se era o menor) e por acompanhar os posts da dupla nas redes sociais. Na reunião, descobri que minha paleta de cores é inverno brilhante. Ao todo, são doze opções, cada estação do ano com três paletas: uma pura e duas neutras, o que leva em conta se a pessoa tem tonalidades de pele quente, fria ou mista. Meu contraste é alto, isso significa que misturas com tons opostos e beeem diferentes colaboram com minha beleza (aceite, todos temos uma).

View this post on Instagram

não acredito em análise de coloração online, desculpa mas se tem um lance que não dá pra confiar é em cor de monitor – e análise de cor é muito sobre o detalhe. mas dá pra ter umas pistas: tudo que está na nossa beleza natural tem que estar na cartela de cores. quem tem cabelo preto (sem pintar haha) tem que ter preto na cartela. meus olhos são verdes acinzentados (ó aí na minha paleta). @chameamo e eu fomos desenvolvendo mil jeitos diferentes de chegar na cartela de cor de cada pessoa e estamos amando desmistificar essa história – não precisa nenhum talento divino pra ser capaz de analisar cores, é treino e teoria. nossas alunas já saem do curso capazes de trabalhar ⚡️ próximo treinamento é no Rio (que eu amo e é tipo minha segunda casa 🖤). e ó, vou organizar um “destaque” com quem fizer o treinamento com a gente, na última turma tinha gente de tudo quanto é canto, como vocês seeeempre pedem dicas de profissionais em outras cidades, todo mundo fica feliz! 💫 #analisedecoloracaopessoal #personalstylist

A post shared by Thais Farage (@thaisfarage) on

Assim, tons terrosos como marrom, laranjas e beges podem me deixar abatida, e até “roubar” um pouco do meu brilho, viço na pele, entre outros detalhes. Mas isso não quer dizer que essas opções são banidas do meu guarda-roupas – pelo contrário -, o serviço também serve como uma forma de descobrir a melhor maneira de usar essas cores.

Passados alguns meses (e algumas apostas nas dicas da dupla), posso dizer: realmente funciona e não me arrependi de pagar pelo serviço. Troquei o blush do tipo bronzeado e o batom nude pelos rosas, me desfiz de todas minhas maquiagens terrosas e alaranjadas (que estavam encalhadas, é verdade) e passei a prestar mais atenção às cores que faziam parte do meu universo. Em vez de retirar cores do meu guarda-roupa majoritariamente preto (que está na minha cartela, ufa!), incluí itens mais diferentões – até delineador pink rolou. Não limei cores do meu armário, na verdade, adicionei.

Vale dizer: a análise funciona para os itens que estão em volta do rosto, então óculos, chapéus, maquiagem, lenço, blusas, casacos, bolsas e até as unhas entram na jogada.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s