Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Luiz Henrique Ligabue – Rabo de Galo Por Blog Avaliações de bares e botecos, cervejas, receitas de drinques e mais Tags: bares, botecos, cervejas, drinques, drinks.

Poesias de beber

Infelizmente não nasci poeta. Por isso os versos que vão gotejar, em pílulas, neste blog são retirados de um dos melhores livros já publicados sobre os prazeres do álcool, A arte do rabo de galo. Escrito por Luiz Lobo e Leopoldo Adour da Câmara, em 1965, para a editora Civilização Brasileira,  é uma raridade para […]

Por Leonam Bernardo Atualizado em 27 fev 2017, 10h39 - Publicado em 25 Maio 2013, 06h13

Infelizmente não nasci poeta. Por isso os versos que vão gotejar, em pílulas, neste blog são retirados de um dos melhores livros já publicados sobre os prazeres do álcool, A arte do rabo de galo. Escrito por Luiz Lobo e Leopoldo Adour da Câmara, em 1965, para a editora Civilização Brasileira,  é uma raridade para ser garimpada nos sebos, enquanto eles ainda existem.

“O” livro (espalmado)

 

Nothing, Sir

O gêlo, em cubos,

vai no copo old-fashioned,

com dez gôtas de Campari

por cima, tudo coberto

de uísque.

Mexa

e sirva,

sem enfeites.”

Continua após a publicidade

 

Nervous Breakdown

Duas doses de gim

para meia de vermute doce

e uma colher de chá

de água de flor de laranjeira.

Mais uma gôta de Angostura

em cada copo.

Gêlo picado.

Mexa e sirva

com uma cereja.”

 

Continua após a publicidade
Publicidade