Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Na galeria Luisa Strina, Laura Lima brinca com a palavra Leviana

Obras produzidas pela mineira são feitas de tule e carregam gelo seco

Por Tatiane de Assis 11 out 2019, 11h07

A mineira Laura Lima exibe nove obras inéditas na mostra Qual, na galeria Luisa Strina. Feitas de tule, elas até podem ser classificadas de esculturas. “Por que não?”, aventa a própria artista. Mas há outras possibilidades a ser consideradas. “As obras também remontam à pintura. Com a ação disparada pelo gelo seco que carregam, ganham ainda um caráter performático”, afirma a autora. A nomenclatura das peças segue a linha sem resposta fácil. Elas são numeradas de 1 a 9 e precedidas pelo título da série, Leviana. Laura brinca com o significado dúbio da palavra, que denota tanto falta de seriedade quanto leveza. Dentro do espaço expositivo, o conjunto aparece imerso na escuridão e adquire ares esvoaçantes. Leviana 9 (acima; 2019), por exemplo, chama atenção por seus espinhos murchos, que conferem um ar de decadência, apesar do brilho do tecido.

Galeria Luisa Strina

Rua Padre João Manuel, 755, Cerqueira César,☎3088-2471. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 17h. Grátis. Até 9 de novembro.

Publicidade