Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Museu da Diversidade Sexual retoma exposição após sucesso na internet

A instituição bateu recorde de visitações online, perdendo apenas para a Pinacoteca

Por Tatiane de Assis Atualizado em 4 fev 2021, 20h33 - Publicado em 5 fev 2021, 06h00

O Museu da Diversidade Sexual (MDS) fez sua diminuta sede, na estação República do Metrô, ecoar na internet. De acordo com dados da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, a instituição ocupou o segundo lugar no ranking de visitas virtuais a equipamentos culturais estaduais. Foram mais de 2,3 milhões, perdendo apenas para a gigante Pinacoteca, que atraiu 4 milhões.

Para manter o ritmo, o MDS abre no dia 8, em versão 360 graus, a exposição Ressetar, que teve sua realização interrompida no ano passado devido à pandemia. segue em cartaz a mostra Queerentena. Participam dela a fotografia Estado Permanente em Vazão (à esq.; 2020), da série Respaldo Vazio, do artista curitibano Vantees, e a gravura digital Linn em Casa (2020), do goiano Chico Monteiro.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 10 de fevereiro de 2021, edição nº 2724

  • Continua após a publicidade
    Publicidade