Clique e assine por apenas 5,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

MASP tem nova turma de curso online de introdução à história da arte

As inscrições para a primeira turma acabaram em menos de 24h. Custo é de 208 reais

Por Tatiane de Assis - Atualizado em 7 Maio 2020, 15h39 - Publicado em 7 Maio 2020, 15h38

Estão abertas as inscrições para o curso online Introdução À História Da Arte Pelo Acervo Do MASP, que tem início previsto para 15 de maio e será ministrado pelo pesquisador e professor Felipe Martinez. As aulas vão até 12 de junho e acontecem das 15h às 17h.

View this post on Instagram

em casa Nascido em uma família abastada da burguesia francesa, Édouard Manet (1832–1883) iniciou os estudos com a literatura e ingressou na carreira de oficial da Marinha. Depois de uma viagem ao Rio de Janeiro a bordo de um navio mercantil, obteve apoio da família para investir na carreira artística. Convencido de que a renovação da pintura deveria ter por base a tradição, copiou as grandes obras do Museu do Louvre, em Paris, e viajou, com olhos de pesquisador, pela Itália, Holanda, Áustria e Espanha. Precursor do impressionismo, foi figura central na passagem da arte acadêmica para a arte moderna. Em Paris, mobilizou a cena artística na segunda metade do século 19, como interlocutor de escritores e poetas como Émile Zola (1840‐1902) e Charles Baudelaire (1821‐1867). Suas personagens encaram o espectador e parecem desafiar tradição e crítica. Em ‘A amazona – retrato de Marie Lefébure’, há forte contraste entre o fundo, com verdes diluídos e esmaecidos, e a mulher, com o volume da roupa preta bem demarcado. O cavalo se volta para o fundo da tela, como se fosse penetrá‐la. A amazona olha para fora, enquanto cavalga e balança uma varinha ou chicote, objeto que parece ter sido pintado duas vezes—um pentimento (‘arrependimento’ em italiano). Em geral, correções são escondidas pelos artistas, mas Manet a deixou à mostra, na tentativa de imprimir uma sensação de movimento à composição. O MASP possui quatro pinturas do artista em seu acervo, e aqui [img. 1] vemos parte de duas delas: ‘Banhistas no Sena—Academia’ (1874-76), à esquerda, e ‘O senhor Pertuiset, caçador de leões’ (1881). 1-4. Édouard Manet, ‘A amazona—retrato de Marie Lefébure’, 1870-75, compra, 1958 #edouardmanet #acervomasp #acervoemtransformação

A post shared by Museu de Arte de São Paulo (@masp) on

Na primeira turma, as inscrições esgotaram em menos de 24 horas. O conteúdo programático tanto da primeira turma quanto da segunda é o mesmo, contemplando os seguintes pontos: renascimento, barroco, século 19, arte moderna, obras de Monet e Matisse, modernismo e arte contemporânea no acervo do Masp.

Ao todo, a atividade conta com cinco encontros e emissão de certificado, mediante frequência de 75% no curso. Vale a pena repetir, é uma atividade on-line, em consonância com a recomendação de isolamento social devido à pandemia de Covid-19.

O investimento é de  208 reais que podem ser pagos à vista ou divididos em cinco parcelas no cartão de crédito. Professores da rede pública podem solicitar bolsa de estudo até o dia 11 de maio, por meio de um cadastro disponível na página do curso.

Continua após a publicidade
Publicidade