Clique e assine por apenas 5,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Exposição d’OSGEMEOS tem obras feitas em parceria com Bansky

Mostra com mais de 1 100 itens ligados à trajetória dos artistas paulistanos abre hoje (15) na Pinacoteca

Por Tatiane de Assis - 15 out 2020, 12h54

Abre hoje (15) a exposição OSGEMEOS: SEGREDOS na Pinacoteca de São Paulo. A mostra, com mais de 1 100 itens, é o principal marco da reabertura das atividades culturais na cidade de São Paulo, anunciada no dia 9 e antecipada pelo blog Arte Ao Redor.

Com curadoria do diretor do museu, o alemão Jochen Volz, a exposição passeia pela trajetória da dupla de artistas paulistanos e traz desenhos que eles fizeram na infância, bem como fotos da adolescência e do mergulho no hip hop. Duas telas de 2013, feitas em parceria Banksy e apresentadas no High Line, também estão por lá.

Lado a lado, as obras chamam atenção para a diferente perspectiva dos artistas. Banksy enfileira policiais, dos quais não vemos o rosto por completo, sobressaindo seus escudos e vestes. É uma demonstração da força repressora que eles têm em conjunto, restando ao colorido personagem d’OSGEMEOS um lugar de resistência e audácia. Os irmãos do Cambuci, por sua vez, vão por outra direção. Na multidão de encapuzados que criam, o policial parece encurralado. Ao mesmo tempo, ali, em um lugar que definitivamente, não é confortável para ele, o soldado ganha identidade, é possível ver seus olhos e assim o individualizá-lo. Ele não é só um policial, é uma pessoa, tem sua expressão.

Telas feitas em parceria com Banksy: “Amigos nos apresentaram” Scott Lynch/Veja SP

As telas feitas com Banksy, é importante ressaltar, são somente uma das partes da exposição, o conjunto de trabalhos dos brasileiros é bastante rico e consistente, conversando com a arte popular e de rua, mas também com a pintura que bebe da história da arte ocidental. Dessa forma, é possível enumerar como as obras mais importantes da mostra a instalação Portal (2020), no octógono do museu, e a também instalação “quadriculada”, no primeiro andar, derivada da exposição Vertigem, de 2008.

Mais detalhes da mostra mais aguardada do ano você na reportagem de capa da Vejinha.

Obrigada pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para conferir minhas postagens no Instagram.

 

Continua após a publicidade
Publicidade