Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Exposição investiga as diferentes tipografias em São Paulo

Riscos e Rabiscos ocupa dois pisos no Farol Santander, com obras de arte, fotos e instalação imersiva

Por Tatiane de Assis 2 ago 2019, 16h17

Riscos e Rabiscos, no Farol Santander, navega por São Paulo investigando as diferentes tipografias presentes na cidade. A exposição, com curadoria de Leonel Kaz, dedica um tempo precioso aos letreiros de prédios e mensagens deixadas por pichadores e anônimos. No núcleo Sala de Alfabetos, instalado no 20o andar, é possível descobrir que a fonte usada nas placas de sinalização do metrô da capital paulista chama-se Helvetica e foi criada pelos suíços Max Miedinger e Edouard Hoffmann. Também ali se conhece outro tipo de letra, a Pixo Reto, inspirada nas mensagens ilegais marcadas em muros. Ambas influenciaram as telas de Tony de Marco e o letreiro em neon de Alexandre Orion, na foto acima, à direita. No 19o an- dar, os visitantes encontram 207 imagens da Pauliceia feitas nos séculos XX e XXI por nomes como Alice Brill (1920-2013), Renato De Cara e José Roberto D’Elboux. Cada uma delas é colocada em uma placa luminosa, que as transforma em uma espécie de pequeno outdoor. Mágica realizada, os trabalhos estão organizados em um percurso circular, que lembra as ruas movimentadas da região central. “Foi uma solução estética que se revelou urbana”, conta Kaz. Há ainda nesse piso uma instalação imersiva na qual as pessoas ganham um “reflexo alfabético”, formado por letras brancas projetadas. Farol Santander. Rua João Brícola, 24, centro, ☎ 3553-5627. Terça a domingo, 9h às 18h30. R$ 25,00. Até 3 de novembro.

Publicidade