Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Enciclopédia Negra apresenta na Pinacoteca 103 retratos de “esquecidos”

Um dos braços do projeto é um livro que conta com mais de 400 verbetes de pessoas que tiveram sua biografia escanteada pela história oficial

Por Tatiane de Assis Atualizado em 28 Maio 2021, 14h09 - Publicado em 28 Maio 2021, 06h00

Enciclopédia Negra é um projeto organizado por Flávio dos Santos Gomes, Jaime Lauriano e Lilia Schwarcz. Um de seus braços é um livro (Companhia das Letras, 89,90 reais) que conta com mais de 400 verbetes de pessoas que tiveram sua biografia escanteada pela história oficial. Na publicação com 720 páginas, há 36 obras associadas a personagens.

O conjunto, contudo, é maior e apresenta 103 retratos, agora exibidos na Pinacoteca. Os homens e mulheres “esquecidos” de que Enciclopédia Negra fala têm raízes africanas. Ou nasceram nesse continente ou descendem dele. Alguns chegaram ao Brasil escravizados e outros nasceram aqui, nessa condição, o que não os impediu de lutar por liberdade. O desconhecimento dessas trajetórias faz com que a visita à exposição seja marcada por um movimento repetitivo.

Escultura de Rubem Valentim em uma sala de museu. A obra é verde e vermelha e tem algumas formas geométricas
Esculturas como a de Rubem Valentim Isabella Matheus/Divulgação

Você olha o trabalho na parede ou na vitrine e logo abaixa a cabeça para ler a etiqueta e saber de quem se trata. Vai aos poucos, então, se cercando de gente como Trajano, retratado pela capixaba Kika Carvalho em uma tela de 2020. Ele nasceu no Amapá, no século XIX, e ajudou na criação de uma república efêmera na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa. Um abrigo para fugitivos da escravidão. Há ainda obras do acervo da Pinacoteca, como esculturas de Rubem Valentim e Mestre Didi.

Pinacoteca. Praça da Luz, 2, ☎ 3324-1000. Quarta a segunda, 11h às 17h30. R$ 10,00. Grátis aos sábados. Visitas agendadas em tinyurl.com/yjwjyb6k. Até 8 de novembro.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 02 de junho de 2021, edição nº 2740

  • Continua após a publicidade
    Publicidade