Clique e assine por apenas 6,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Charles Cosac pede demissão da direção da Biblioteca Mário de Andrade

Editor ficou dois anos à frente do espaço cultural, localizado no centro da cidade

Por Tatiane de Assis - Atualizado em 15 jan 2019, 13h43 - Publicado em 15 jan 2019, 13h34

O editor Charles Cosac pediu demissão do cargo de diretor da Biblioteca Mário de Andrade na manhã desta terça (15), em solidariedade ao desligamento do cineasta André Sturm da pasta da Secretaria de Cultura.

“Tudo que conquistei aqui, nesses dois anos, foi graças a ele. Tocamos projetos que se arrastavam desde os anos 90, como a digitalização das fichas catalográficas, que começou em outubro de 2018 e tem duração de dezoito meses”, disse Cosac, em entrevista exclusiva a VEJA SÃO PAULO.

Cosac assumiu o posto em janeiro de 2017. Dentre seus êxitos, está a programação de artes visuais, que contou com exposição de grandes nomes da arte brasileira, como Luis Paulo Baravelli e José Rufino. O centro cultural também ganhou dez bibliotecários, que possibilitaram, por exemplo, a reabertura do espaço infantil.

“Foram muitas conquistas nesses dois anos, mas não dá para continuar. Espero que a nova direção dê prosseguimento”, finaliza Cosac.

Continua após a publicidade

Confira abaixo a carta de despedida de Charles Cosac.

Queridos Amigos,

Para não falarem, mais uma vez, que tudo que se sabe de mim, ou nada, decisões, fechamentos e lançamentos, e a vida, é oriundo da imprensa, faço a participação que se segue.

Infelizmente, ante os fatos recentemente divulgados, mais particularmente o que tange à saída do querido secretário Sturm da SMC, não me é humanamente possível continuar a ocupar o cargo de diretor da Biblioteca Mário de Andrade. Portanto, peço que vejam não se tratar de uma iniciativa minha, e sim, como Francis Bacon diria, da “brutalidade do fato”.

Continua após a publicidade

Cargo muito mal remunerado, porém disputado, pela pompa que ele confere. Nunca me impressionei, mas lhes confesso que me apaixonei, não de súbito, paulatinamente, paulistanamente. E é com amargura que ora me despeço.

Certamente, além desta participação, orientações, sugestões e pedidos serão encaminhados às cinco Supervisões. Entrementes, tenho fé que, neste ínterim, todos os senhores, sabidamente competentes, darão continuidade às suas atividades diárias até a entrada do novo diretor.

Comprometo-me também a fechar as duas revistas da Biblioteca Mário de Andrade, ora no prelo.

Como já dito dia 8, em minhas palavras de boas-vindas, ratifico aqui minha eterna gratidão a todos os senhores, principalmente ao secretário André Sturm, por ter conferido a mim tamanha confiança.

Continua após a publicidade

Afinal, o Pai não quis!

Com sinceridade,

Charles Cosac

Publicidade