Tássia Magalhães se desliga do Pomodori

A ex-chef da casa italiana promete começar um restaurante do zero e vem tocando outros projetos pessoais

Foi quase uma década de Pomodori. Mas Tássia Magalhães pôs um ponto final no domingo de Páscoa e desde então não é mais chef do restaurante italiano, no Itaim.

A cozinheira encontra-se envolvida em vários projetos. “Tenho planos de abrir outro restaurante do zero, estou procurando ponto”, revela. “Será o Unno Masseria, também com uma proposta autoral.”

Ambiente do Pomodori: clientela fiel

Ambiente do Pomodori: clientela fiel (Lucas Lima/Veja SP)

Pensar que, quando ingressou, a jovem tinha apenas 19 anos e era recém-formada no curso de gastronomia no Senac de Campos de Jordão. Na época de seu ingresso, o chef era Jefferson Rueda, hoje à frente de A Casa do Porco Bar.

“Comecei como estagiária e fui efetivada auxiliar de confeitaria depois de um ano, mas saí para fazer um estágio na Dinamarca”, lembra. De 2011 a 2013, ela estava sob o comando do chef Diogo Silveira, do MoDi. “Só me tornei chef em março 2013, com a saída do Diogo.”

Foram cinco anos à frente da cozinha do Pomodori, no qual ela se revelou uma das talentosas cozinheiras de sua geração.

Veja também

Até abrir a Unno Masseria, ela concentra suas atenções ao Mine, que funciona dentro do salão de beleza Square, na Rua Colômbia, desde 2017.

“Faço um cardápio de cozinha saudável para o público que malha bastante. Tenho inclusive pratos sem glúten. Um exemplo é nhoque de beterraba, que faz sucesso no Pomodori, mas sem farinha de trigo.”

Um segundo Mine está a caminho em outro salão de beleza. “Acho um formato muito bom e gostaria de ter vários Mines”, revela.

No final do ano passado, Tássia deu início aos jantares especiais num condomínio fechado na Chácara Flora. Chama-se Le Segreto e é um menu degustação em onze etapas que ela faz com o amigo Patrick Prado, que se formou na França. “É um cardápio com bases italiana e francesa”, conta. Custa 310 reais.

Quem tiver interesse em participar de uma dessas experiências, sempre às quartas e às quintas, é necessário fazer reserva pelo Instagram da Tássia ou do Patrick.

No Pomodori, a administração continua com Rodrigo Gianecchini, ex-marido de Tássia. Embora separados há dois anos e meio, continuam bons parceiros de negócios.

“Por enquanto, o menu continua o mesmo e ainda não temos outro chef”, diz o empresário. “Eu e a Tássia temos algumas pessoas em mente ficar no lugar dela, mas ainda não decidimos. Acredito que até o final desse mês a gente resolva isso.”

Com fama de administrador competente, Gianecchini tirou o Pomodori de uma situação quase falimentar para o azul em pouco mais de três meses, quando comprou o restaurante em julho de 2013.

“Nesse momento, estou falando com alguns investidores para entrarem comigo, pois isso vai dar um bom fôlego e também ajudar a pensar com mais calma em uma boa estratégia com o chef que ficar no lugar da Tássia.”

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s