Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Saiba onde encontrar os bolos de A Dona do Pedaço

Premiada confeitaria paulistana fez as guloseimas que são preparadas por Juliana Paes

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 20 Maio 2019, 22h52 - Publicado em 20 Maio 2019, 20h46

Para fazer bonito em A Dona do Pedaço, novela das 9h de Walcyr Carrasco, que estreia nesta segunda (20), a atriz Juliana Paes chegou a ter aulas com a consultora gastronômica Maria de Lourdes Lazaro de Almeida, como apareceu ontem em entrevista no Fantástico.

O que pouca gente sabe é que os bolos usados na fase inicial da novela e que a protagonista vende nas ruas de São Paulo são da premiada doceria Bolo à Toa, que ganhou o título de o melhor bolo caseiro pela edição especial Comer & Beber de 2013, quando a moda decolou.

 

Bolos usados na produção: fábrica com 200 deles Divulgação/Divulgação

“Uma produtora da Globo me procurou, por ter conhecido a história da Bolo à Toa. Ela estava em busca de um fornecedor de bolos caseiros que atendesse às exigências e referências para filmagem da primeira fase da novela que foi gravada em São Paulo”, conta a sócia Renata Frioli.

Ela diz que ficou entusiasmada quando soube que Juliana iria vender bolos em um carrinho no centro da cidade. “Aceitamos e fizemos vários bolos simples e alguns recheados e com cobertura, tipo bolo de brigadeiro, e um bolo de morango”, revela.

 

Reprodução/Veja SP

Em seguida, veio outra fase de gravações, dessa vez em uma indústria de panificação. “Eles queriam meus bolos em uma forma de papel, pois só elas poderiam rodar em esteiras. Aceitamos o desafio e desenvolvemos junto a um fornecedor as formas de papel igualzinha a nossa de alumínio, para uma produção de 200 bolos para aquele set de filmagem”, descreve os bastidores.

Continua após a publicidade

A empresária só lamenta não ter tido contato com Juliana. Ela também explica que não houve um contrato, mas foi uma produção na base da confiança. “Trabalhamos dois meses nesse projeto. Hoje as filmagens são todas feitas no Projac”, diz. Para ornamentar a fábrica-cenário, a Globo comprou de Renata 150 formas de alumínio da Bolo à Toa. “Queriam as usadas para que parecessem reais.”

https://www.instagram.com/p/BxsXQbUHnJT/

Embora não tenha provado os bolos usados em sua novela, Walcyr Carrasco, que é um bom de garfo como eu, não teve dúvida em afirmar: “Estão lindos!” Aliás, tive a oportunidade de ser jurado ao lado do talentoso escritor em concursos de receitas de leitores da revista Ana Maria. E depois o privilégio de ter meu nome citado em uma novela escrita por ele. Um ator interpretou o crítico Arnaldo Lorençato, que seria jurado no no concurso do pudim do amor, que tinha a protagonista Giovanna Antonelli, que vivia a confeiteira Clarice de Sete Pecados.

Quem quiser comprar uma das deliciosas pedidas do Bolo à Toa, há três lojas em São Paulo — Pinheiros, Itaim Bibi e Real Parque — e uma em Ribeirão Preto (Avenida Leais Paulista, 393, Jardim Irajá, tel. (16) 3637-1486). Os preços variam de 22 reais a 35 reais.

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma
+ O tiramisu original
+ O melhor petit gâteau do Brasil

E para não perder as notícias mais quentes que rolam sobre São Paulo, assine a newsletter da Vejinha

Continua após a publicidade
Publicidade