Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Mori Sushi/Ohta ganha primeira filial no Itaim

Point de moçada no fim da Rua da Consolação, o Mori Sushi/Ohta tem previsão de ganhar a primeira filial até o fim de março. O restaurante, especializado em rodízio de pratos japoneses, surgiu dez anos atrás nos Jardins e chega agora ao Itaim. Ocupará o ponto deixado pelo Koban, na Rua Doutor Mário Ferraz, 449. […]

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 26 Feb 2017, 22h41 - Publicado em 22 Feb 2014, 14h38
Ohta: "Além do Itaim, até maio chegaremos também no Rio" (Foto: arquivo pessoal)

Ohta: “Além do Itaim, até maio chegaremos no Rio” (Foto: arquivo pessoal)

Point de moçada no fim da Rua da Consolação, o Mori Sushi/Ohta tem previsão de ganhar a primeira filial até o fim de março. O restaurante, especializado em rodízio de pratos japoneses, surgiu dez anos atrás nos Jardins e chega agora ao Itaim. Ocupará o ponto deixado pelo Koban, na Rua Doutor Mário Ferraz, 449.

É um projeto dos sócios Fernando Ohta e os irmãos Fabio e Ronei Lamana, donos de uma distribuidora de queijos. “Estamos investindo 1,5 milhão de reais nessa nova casa, que terá 110 lugares”, adianta Ohta. “Também abriremos nossa primeira unidade no Rio. Fica na área de expansão do Barra Shopping e deve estar pronta no fim de maio.”

+ Quer saber onde almoçar ou jantar hoje? Veja uma lista de restaurantes selecionados

Continua após a publicidade

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

Fachada: as obras devem terminar até o fim de março (Projeto: Marcos Cruz)

Fachada: as obras devem terminar até o fim de março (Projeto: Marcos Cruz)

Responsável pela comida japonesa em estilo brasileiro, o chef e sushiman Daniel Hirata tomará conta do cardápio do trio de casas. O cozinheiro promete surpreender a clientela com pratos da moda, como os ceviches, que faz à sua maneira.

Na sempre concorrida matriz dos Jardins, Ohta contabiliza ter atendido 200.000 pessoas no ano passado, a maioria delas atraída pelo rodízio moderninho. Para servir tanta gente, a casa tem 105 funcionários, dezessete deles sushimen. Foram eles que ao longo de 2013 transformaram 100 toneladas de salmão em 27,3 mil peças de sashimis e niguiris. Embora não se use salmão para sushis no Japão, o peixe de cor laranja e rico em gordura caiu na graça dos paulistanos. Do mais nobre dos pescado para esse tipo de receita – o atum – foram 15 toneladas. Também saíram do balcão da 7 toneladas de polvo e 7,5 toneladas de camarão. Ohta diz que a fidelidade do público é que permite o ambicioso projeto de expansão da marca.

Continua após a publicidade
Perspectiva do alto (Projeto: Marcos Cruz)

Perspectiva do alto (Projeto: Marcos Cruz)

Quando foi aberto em 2004, o restaurante era uma filial do Mori Sushi, que funciona em Perdizes desde 1992 e pertence a Francisco Morita, sócio também de uma unidade em Moema. Dois anos depois, houve uma separação no negócio e os cardápios dos Mori Perdizes e Jardins foram se tornando diferentes. Para marcar essa ruptura, a partir de novembro de 2012, a casa da Rua Consolação passou a se chamar Mori Sushi/Ohta. “Pretendemos usar o nome Ohta no futuro, mas essa será uma transição lenta”, conta Ohta.

Visual do futuro salão  (Projeto: Marcos Cruz)

Visual do futuro salão (Projeto: Marcos Cruz)

Conheça o cardápio do Mori Sushi/Ohta.

Continua após a publicidade

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook.

Publicidade