Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

MasterChef: difícil semifinal com produtos escolhidos por Jacquin

Não parecia que ele chegaria tão longe. Certamente, não foi pela apresentação de seus pratos, na maioria das vezes sem charme e beirando o feioso. O que deve ter conquistado o trio Paola Carosella (Arturito e La Guapa Empanadas), Henrique Fogaça (Sal Gastronomia, Admiral’s Place e Cão Véio) e Erick Jacquin (Tartar & Co) foi a riqueza de sabor. Parece […]

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 26 Feb 2017, 14h49 - Publicado em 8 Sep 2015, 19h49
Fogaça, Paola e Jacquin: comissão de frente implacável (Fotos: Carol Gherardi/Band)

Fogaça, Paola e Jacquin: comissão de frente implacável (Fotos: Carol Gherardi/Band)

Não parecia que ele chegaria tão longe. Certamente, não foi pela apresentação de seus pratos, na maioria das vezes sem charme e beirando o feioso. O que deve ter conquistado o trio Paola Carosella (Arturito e La Guapa Empanadas), Henrique Fogaça (Sal GastronomiaAdmiral’s Place e Cão Véio) e Erick Jacquin (Tartar & Co) foi a riqueza de sabor. Parece que Cristiano sabia usar temperos como poucos. Isso manteve sua longevidade no MasterChef e ele ficou entre os quatro finalistas.

+ Minha avaliação dos restaurantes dos jurados MasterChef

Na semana passada, algumas pessoas reclamaram de um tuíte no qual eu dizia ser injusto chamar o Cristiano de vencedor. Afinal, se ele fosse bom de verdade, como os três outros que estão hoje na semifinal, não teria sido eliminado. Acredito nisso. Vários candidatos que aparentemente tinham mais potencial, como o Murilo e a Carla, ficaram pelo caminho. Conta muito a sorte e a capacidade de equilibrar-se em condimentos. Talvez isso explique o sucesso do candidato.

Cristiano: dispensando na prova anterior

Cristiano: dispensado na prova anterior

Continua após a publicidade

Hoje, o trio de participantes recebe familiares para acompanhar a prova. Izabel, por exemplo, terá o apoio do pai Eduardo Alvarez, um tenor esplêndido que fez sucesso em papéis wagnerianos fora do Brasil — selecionei um vídeo no qual ele canta um trecho do primeiro ato da Valquíra. Seu repertório italiano também era vasto. Coloquei um vídeo dele no fim do post.

O trio de semifinalistas: prova tensa

O trio de semifinalistas: prova tensa

+Erick Jacquin é autor do menu do novo Le Bife

Jiang estará ao lado do jovem com quem se casou recentemente. E Raul? Bem não sei quem são seus convidados.

Se a prova da semana passada foi tensa e havia no ar um clima para fatiar, desta vez a coisa deve ficar pior. Pela frente, os competidores irão encarar três ingredientes selecionados por Jacquin, o rei do foie gras. Desta vez, porém, o imperador do fígado gordo de pato escolhe três produtos marinhos: lagosta, vieira e peixe-sapo, também conhecido com um nome mais apetitoso, tamboril.

Continua após a publicidade
Participação dos familiares: o mesmo modelo da final passada

Participação dos familiares: o mesmo modelo da final passada

Feito um balanço de quem teve mais vitórias em provas individuais, Raul sai na frente. Ele ganhou três, o mesmo número de Izabel. Nesse caso, o desempate foi pelo número de provas em conjunto. De qualquer forma, acho que ele estaria na liderança, uma vez que Izabel passou pela repescagem. Jiang, por sua vez, só conquistou uma vitória por conta própria.

+ La Guapa, empanaderia de Paola Carosella

Com isso, o publicitário santista que estudou no Mackenzie, mas não chegou a ser meu aluno – sim, dou aulas na universidade há 22 anos –, tem o direito de escolher seu pescado preferido. É Izabel que faz a escolha seguinte, sobrando para Jiang o último dos ingredientes.

Do trio de participantes, um deles faz uma escolha inusitada de ingredientes no mercado para usar de acompanhamento. Mas, sabiamente, ouve os conselhos dos chefs e acaba repensando sua receita. São matérias-primas que, a princípio, não combinam com vieiras.

Continua após a publicidade

Outro participante resolve fazer uma fritura e se dá mal, ou quase.

Sobre Jiang, a queridinha do público, começa traumatizada por um problema que já teve anteriormente. Terá de encarar um peixe inteiro, coisa que a assusta bastante.

Entre as revelações que ela faz, conta que quando criança teve uma estranha experiência com um peixe morto que olhou para ela. Não é o fantasma da ópera, mas o fantasma peixe.

Acompanhe ao vivo os comentários sobre o MasterChef:


!function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0],p=/^http:/.test(d.location)?’http’:’https’;if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=p+”://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);

Por dentro do MasterChef:
+ Ana Paula Padrão conta detalhes desta edição
+ Candidatos na peneira
+ Surpresa na estreia da segunda temporada
+ Conheça os competidores
+ A prova dos cogumelos assassinos

+ A batalha dos food trucks e a destruição do salmão
+ Disputa amazônica no Rio Negro
+ Dia de encher linguiça e visitar o Palmeiras
+ Prova de culinária espanhola temperada com treta de Cristiano
+ Na mira de outros chefs exigentes e um bife difícil de fazer
+ Receita do bad boy Henrique Fogaça

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=4WU4__SBgu8?feature=oembed&w=500&h=281%5D

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível saber as novidades pelo Twitter.

Publicidade