Clique e assine com até 89% de desconto
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

MasterChef Brasil 5: gritaria em prova ao ar livre e choro na eliminatória

O episódio desta terça (24) tem atritos, 100 bocas para alimentar e uma doce missão impossível da premiada confeitaria de Marilia Zylbersztajn

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 24 abr 2018, 16h42 - Publicado em 24 abr 2018, 16h31

Não dá para começar a falar do programa desta terça (24) sem recuperar o episódio anterior. Como havia sido prometido sem avisar quando ocorreria, não foi eliminado só um candidato, mas houve um despacho duplo pela primeira vez nas cinco temporadas do MasterChef Brasil realizadas até agora, como adiantei aqui no blog.

Penduraram o avental ao mesmo tempo Crisleine e Kauê. Ambos “sentaram na graxa” da barriga de porco com cuscuz marroquino, receita de Henrique Fogaça que mereceu até uma aula demonstrativa. Há que se lembrar que seis não puderam assistir ou porque foram os piores ou porque foram excluídos pelo padre Evandro, ganhador da prova anterior.

Inspeção de Jacquin e Paola: equipe azul, sob o comando da capitã Maria Antonia Carlos Reinis/Band/Divulgação

Nesta terça (24), o programa começa com mais uma prova em grupo. Os competidores, divididos em duas equipes, vão direto para o maior porto da América Latina. Fica logo ali, em Santos. A missão é preparar refeições para 100 trabalhadores do local.

Cada grupo terá acesso a um contêiner no qual estão os cinco produtos mais exportados e os cinco produtos mais importados pelo Brasil. Desses cinco ingredientes, quatro são obrigatórios nas duas opções que serão preparadas, um prato principal e uma sobremesa.

Sob as ordens do major Thiago: equipe vermelha prepara pratos com produtos de exportação Carlos Reinis/Band/Divulgação

Num dos caixões metálicos usados para transporte marítimo estão picanha, castanha-de-caju, café, laranja e manga, campeões de exportações. Entre os que mais desembarcam em solo mátrio de outras paragens estão salmão, azeitona preta, limão-siciliano, farinha de trigo e maçã-verde. Os competidores terão ainda acesso ao mercado, onde podem buscar outros ingredientes. Sabe-se lá se isso é bom ou ruim.

Nesse MasterChef treteiro, durante a 1h30 para preparar a comida os jurados Paola Carosella (Arturito e La Guapa Empanadas), Erick Jacquin (Tartar & Co e Le Bife) e Henrique Fogaça (Sal GastronomiaJamileAdmiral’s Place e Cão Véio) vão assistir a bate-bocas entre os membros da equipe vermelha. A líder Maria Antonia vai berrar a plenos pulmões com o padre Evandro, como mostra o teaser no fim do episódio. É o religioso que está encarregado de preparar o salmão. A líder também vai bater de frente com a Rita.

Crislaine: partida no pacote da dupla eliminação Carlos Reinis/Band/Divulgação

O grupo do capitaneado pelo major Thiago terá mais disciplina, mas também enfrentará um momento de hesitação. Haverá uma discussão de como preparar um dos ingredientes que de maior exportação do Brasil. É a picanha-dilema.

Continua após a publicidade

Não queria estar na pele dos integrantes da equipe perdedora. De volta ao estúdio, eles darão de cara com Marilia Zylbersztajn, dona da premiada confeitaria que leva seu nome, com unidades em Pinheiros e no Itaim. Só em VEJA COMER & BEBER, a edição anual de gastronomia da qual sou editor, as lojas de Marilia levaram três vezes consecutivas o prêmio de melhor de São Paulo.

Kauê: nem a flor gigante ajudou e o candidato foi eliminado Carlos Reinis/Band/Divulgação

Doceira refinada, Marilia é uma delicadeza só no uso de açúcar, o que me agrada muito. A receita escolhida por ela é uma torta de pera com creme de cardamomo e crumble de noz-pecã. Para relembrar o mix de sabores, estive ontem na loja do Itaim – só conhecia a minúscula matriz da Vila Madalena. A combinação é uma viagem ao Oriente, proporcionada por uma marcante especiaria, o cardamomo.

No creme preparado pela confeiteira, há uma precisão na quantidade usada dessa semente, uma aparentada do gengibre. Esse equilíbrio impede que se ofusque os outros ingredientes, em especial a pera. A torta da Marilia é uma delícia. Confesso que também provei dois sanduíches, mas isso é história de guloso para outro post.

O problema é que não será dada uma aula. Os concorrentes precisam descobrir apenas com o paladar a composição da receita, um tremendo desafio em confeitaria. Da chef, parte apenas uma informação: a sutil quantidade de açúcar. E uma dica especial sobre o creme de cardamomo, já que essa matéria-prima não é muito comum, tem pouco utilização e há que nem a conheça.

Só com essas pistas, problemas de todos os tipos vão surgindo e se multiplicando em 1h15 de prova. Resultado: há muito chororô na hora da eliminação, que promete ser das mais emocionantes. Quem chegar ao fim do programa verá.

Conheça os participantes:

Divulgação/Divulgação

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade