Clique e assine com até 89% de desconto
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Dono do Barú recebe personalidade gastronômica do COMER & BEBER

Em celebração a um ano do restaurante, o chef Dagoberto Torres cozinha com a premiada Mara Salles, do Tordesilhas, com drinques de Nina Bastos, do Jiquitaia

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 26 mar 2019, 17h10 - Publicado em 26 mar 2019, 16h53

Barú Marisquería está em festa. Para celebrar o primeiro ano do restaurante, o chef colombiano Dagoberto Torres convidou Mara Salles, do Tordesilhas e personalidade gastronômica pela mais recente edição de VEJA COMER & BEBER, para um jantar a quatro mãos nesta terça (26), a partir das 19h. O cozinheiro também recebe Nina Bastos, sócia Bar do Jiquitaia, responsável pela coquetelaria. O cardápio terá receitas nacionais no prato e no copo.

“Como o Brasil faz parte da América Latina mas aqui não se fala espanhol, queria trazer a identidade, a força e os sabores brasileiros para o Barú”, diz Dagoberto que, em seu cardápio regular, mescla influências de vários países hispano-americanos, em especial das regiões litorâneas.

Barú Marisquería: ambiente simples com comidas de inspiração de vizinhos hispano-americanos Divulgação/Divulgação

Os peixes, tão famosos no cardápio de Torres, aparecem no menu elaborado por Mara Salles na forma de um dourado do mar na folha de bananeira ao molho de pancs (plantas alimentícias não-convencionais) com purê de banana-da-terra. Custa 72 reais. De entrada, há uma das delícias do Tordesilhas, o bolinho errado (24 reais, 4 unidades), de massa de mandioca e queijo artesanal. 

Outra receita, o arrumadinho pernambucano (38 reais) é composto de carne-seca, feijão-de-corda, farinha tostada e vinagrete, e um caldo servido na cuia (28 reais), feito com tucupi, farinha de mandioca de Uarini e torresmos de pele de pirarucu. “É uma homenagem à mandioca, muito presente em toda a América Latina”, afirma Mara. Para finalizar, ela recomenda a compota de maracujá (25 reais), que leva a casca da fruta e vem banhada com creme inglês de pequi e cacau.

Receitas de Mara Salles: bolinho errado, com mandioca e queijo, e compota de maracujá, creme inglês de pequi e cacau Divulgação/Divulgação

Todo o jantar, com receitas para compartilhar, pode ser harmonizados com drinques saídos da coqueteleira de Nina. São exemplos o mandasour (27 reais), combinação de chá-mate, cachaça envelhecida em jaqueira e mel de abelha mandaçaia, e o coentro (34 reais), de gim, coentro, limão e cerveja de cupuaçu, . A oferta completa-se com o famoso caju-amigo (27 reais), mistura de gim e compota da fruta.

Continua após a publicidade
Drinques de Nina Bastos: mandasour (chá-mate, cachaça envelhecida e mel de mandaçaia) e o coentro (a erva, gim, limão e cerveja de cupuaçu) Ligia Skowronski/Veja SP

“Geograficamente falando, não temos nenhuma separação. Somos conectados aos países vizinhos pela mesma Amazônia e os ingredientes são tão nossos quanto deles. Esse pensamento nos leva a fazer essa comida latino-americana”, afirma Mara.

Para ocupar um dos 28 lugares, é necessário reservar pelo número 3062-0898, ou chegar após as 19h, já que Dagoberto promete manter um terço do salão livre para quem não agendou.

Com reportagem de Gabriela Santos

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma
+ O tiramisu original
+ O melhor petit gâteau do Brasil

E para não perder as notícias mais quentes que rolam sobre São Paulo, assine a newsletter da Vejinha.

Continua após a publicidade
Publicidade