Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Gigetto serve a última refeição antes de mudar para o Bixiga

Quando fechar as portas hoje às 23h, o Gigetto encerra definitivamente suas atividades no número 63 da Rua Avanhandava. Conclui ali uma história de mais de 75 anos, 44 deles passados neste ponto. Mas isso não significa o fim do restaurante, pai de muitas cantinas paulistanas, mas apenas uma mudança. O Gigetto transfere-se para a Rua […]

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 27 fev 2017, 00h13 - Publicado em 15 set 2013, 15h07

Gigetto: último dia no número 63 da Rua Avanhandava (Foto: Frederico Busch)

Quando fechar as portas hoje às 23h, o Gigetto encerra definitivamente suas atividades no número 63 da Rua Avanhandava. Conclui ali uma história de mais de 75 anos, 44 deles passados neste ponto. Mas isso não significa o fim do restaurante, pai de muitas cantinas paulistanas, mas apenas uma mudança.

O Gigetto transfere-se para a Rua 13 de Maio, 686, no coração do Bixiga. Ocupará um antigo sobrado residencial, erguido no fim dos anos 1920 e com fachada tombada pelo patrimônio histórico.

“Estamos completando 75 anos hoje e ficamos muito contentes com a mudança”, diz Ana Paula Lenci, mulher de Henrique Lenci, neto de um dos fundadores da casa, Enrico Lenci, o seu Henrique, já falecido. A empresária conta que no início deste ano, ela e os sócios receberam uma notificação da Prefeitura em conjunto com a Cohab de que o prédio, do qual ocupam apenas o térreo, será desapropriado para construção de moradias populares. Os outros andares do edifício estavam abandonados havia vários anos, o que motivou a medida.

“Não tinha um prazo estipulado, mas quando recebemos a notificação começamos a nos movimentar em busca de um novo local”, conta. “É uma casa de 1928 com um astral incrível e estava fechada havia muitos anos.”

Continua após a publicidade

A mudança de mobiliário começa nesta segunda e deve se estender por toda a semana. Também está em processo de finalização a reforma no imóvel. Não há ainda uma data definida de reinauguração, mas Ana Paula acredita que estará tudo pronto até o fim do mês.

Fachada do restaurante na Rua Nestor Pestana: funcionou ali até o fim dos anos 1960 (Foto: divulgação)

Essa não é a primeira troca de endereços do Gigetto. Ele surgiu na Avenida Rio Branco em 1938 e transferiu-se, em 1949, para Rua Nestor Pestana. Ficava em um belo casarão que veio abaixo para ser ocupado por um hotel. Dali, migrou para a Rua Avanhandava, permaneceu por mais de quatro décadas.

Quando for reaberto no novo endereço, o Gigetto terá novidades no cardápio, ainda mantidas em segredo. “Mas os clientes não precisam se preocupar, porque os clássicos permanecem inalterados, entre eles o capelete à romanesca, nosso carro-chefe”, adianta Ana Paula.

+ Leia sobre a reabertura do Gigetto na Rua 13 de Maio, no Bixiga

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook.

Continua após a publicidade

Publicidade