Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 27 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações de estabelecimentos. Além das atividades na Vejinha, leciona na Universidade Mackenzie

Distrito Urbano concentra pedidas italianas e hambúrguer num mesmo espaço

Na região do Morumbi, o novo endereço abriga a primeira filial de uma das melhores pizzarias paulistanas e, a partir de segunda (12), caprichados sanduíches

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 10 Nov 2018, 18h21 - Publicado em 10 Nov 2018, 16h49

É um projeto e tanto! O espaço de 500 metros quadrados, construído como uma charmosa praça de alimentação – ops! os donos preferem chamar de food hall – está funcionando desde 17 de outubro com o nome de Distrito Urbano. Nem todas suas atrações, porém, estão em funcionamento, como explica o banner pendurado na fachada, onde se encontram as datas de inauguração. Por enquanto, está aberta a Napoli Centrale Pizza Napoletana.

Com fachada de tijolos à vista que lembra um antigo e charmoso galpão de pé-direito de 6 metros de altura em estilo industrial e forro com as 25.000 toras de madeira e o gabião de carvão, o Distrito Urbano surgiu do zero num terreno antes ocupado por uma churrascaria uruguaia.

Ambiente industrial: praça de alimentação com 500 metros quadrados Arnaldo Lorençato/Veja SP

Trata-se do novo empreendimento da CGC (Companhia de Gastronomia e Cultura), liderada dupla Marcos Livi e Gil Guimarães, cuja associação é conhecida por outras duas casas de sucesso, a pizzaria Napoli Centrale e a hamburgueria C6 Burger, no Mercado de Pinheiros. Livi é dono ainda dos bares Quintana e Verissimo. Os sócios calculam ter investido 2 milhões de reais para viabilizar o empreendimento.

Frito misto: arancini, polenta e croquete Arnaldo Lorençato/Veja SP

Tanto a pizzaria quanto a hamburgueria (começa a funcionar em 12 de novembro, a próxima segunda) têm as primeiras filiais nesse espaço, que conta ainda com outras quatro operações. Uma delas é a inédita trattoria Ora!, prometida para a primeira semana de dezembro. A cantina terá a supervisão de Luis Trigo, do Le Birosque, restaurante de Brasília premiado como melhor bom e barato da Capital Federal, e conhecido pela porchetta de courinho crocante e carne macia. Na Ora!, a porchetta sairá da cozinha na companhia polenta de milho. Complementarão o cardápio opções como a bochecha de porco e massas frescas.

Continua após a publicidade
Serrano: consultor e responsável pela carta de drinques Arnaldo Lorençato/Veja SP

Bitter é o nome dado ao bar que resulta de uma parceria de Livi com o consultor e bartender Marcelo Serrano. Estive por lá e provei dois drinques feitos com competência pelo especialista, o moscow mule, coquetel de vodca com espuma de gengibre inventada pelo profissional, e o fazendinha, composto de vinho branco, gim, limoncello, lichia e xarope de manjericão. Cada um deles sai a  27 reais. No dia a dia, a execução é de Luis Claudio Simões. Junto a esse espaço, funcionará ainda um serviço de cafés Nespresso a partir de 21 de novembro.

Também é possível pedir chopes que jorram de uma seis torneiras fixadas na parede na área conhecida como Carbon On Tap. O Burgman, produzido em Sorocaba, sai a 12 reais.

Burrata e parma: pizza da primeira filial da Napoli Centrale Arnaldo Lorençato/Veja SP

Dos comes, saboreei as pizzas zucchini e capra (queijos de cabra e flor de leite, abobrinha, tomate defumado e azedinha, 35 reais) e burrata e parma com raspas de limão-siciliano mais tomates amarelo e vermelho (33 reais), feitas com competência. Antes, fui de frito misto, composto de três friturinhas do cardápio: arancino, bolinho de arroz italiano com ragu de linguiça, polenta com queijo provola defumado e croquete de carne na cerveja escura.  No arremate, preferi o duo de cannoli (12 reais), tão bons quantos os outros itens do cardápio.

Sobremesas: cannoli entre as opções Arnaldo Lorençato/Veja SP

Por enquanto, o funcionamento é de 12h à meia-noite. “O projeto é abrir a partir das 8h da manhã. É um lugar para tomar café, fazer uma reunião, almoçar no meio da tarde, levar pizzas para casa”, explica Livi. “É uma área de conveniência para o bairro”. Morador da região do Morumbi conhecida como Panamby, Livi acredita que faltava um negócio como esse por lá.

Continua após a publicidade

Também impulsionou o restaurateur a montar o espaço com 120 lugares o que ele define como de uma mudança de hábitos das pessoas e das famílias. “Adotamos um modelo que preserva cada marca e oferece, num mesmo espaço, um momento de consumo mais democrático, já que cada um pode pedir uma coisa diferente.”.

Distrito Urbano
Rua Aureliano Guimarães, 100, Panamby, tel. 3502-4341 e 94300-1700.

Valeu pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para curtir minha página no Facebook e minhas postagens no Instagram. As novidades quentes aparecem também no meu Twitter.

Publicidade