Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Dare, no Bom Retiro, serve pratos coreanos baratos; leia crítica

É preciso vencer alguns lances de escada para provar as pedidas orientais, já que no térreo há um quilo

Por Arnaldo Lorençato - 8 mar 2019, 06h00

Um dos bairros mais singulares da capital, o Bom Retiro é conhecido por ter abrigado diferentes levas de imigrantes. Em tempos mais remotos, a região concentrava espanhóis e italianos, depois foi ocupada por judeus da Europa Central e do Leste Europeu e, há algumas décadas, é conhecida por receber uma crescente população do Extremo Oriente.

Os coreanos que lá chegaram transformaram as feições desse pedaço da cidade, em especial as feições gastronômicas. Entre os restaurantes, o Dare chama atenção. O amplo salão tem suas peculiaridades. Seu térreo é ocupado por um quilo dedicado a receitas brasileiras e japonesas.

Mul neng myun: versão de sopa gelada, feita com com uma massa de trigo-sarraceno e batata num caldo agridoce de carne com fatias de músculo, ovo, pepino e nabo Clayton Vieira/Veja SP

Vale a pena vencer o lance de escadas que leva ao piso superior para provar sugestões clássicas da Coreia do Sul, a maioria delas feita para agradar dragões, tamanha a dose de pimenta vermelha com que são condimentadas.

Em vez de descrever esses apetitosos incêndios no prato, começo por uma sopa fria nada picante, já que o molho de vinagre e a mostarda apimentada vêm à parte. É a mul neng myun (R$ 40,00), feita com uma massa de trigo-sarraceno e batata num caldo agridoce de carne com fatias de músculo, ovo, pepino e nabo, um antídoto para esse calorão. Detalhe a prestar atenção, o macarrão fino chega bem grudado, na companhia de uma tesoura para cortá-lo. Além de divertida, a operação facilita saborear a pedida.

Outra sugestão muito apreciada é o bul go gui (R$ 48,00), churrasco de contrafilé cortado em tiras finas ao molho agridoce servido junto de arroz sem tempero.

Seleção de petiscos: mudam diariamente e pode conter panquequinha de vegetais, peixinhos secos, gelatina de castanha, abobrinha apimentada e kimchi Clayton Vieira/Veja SP

Empolga bem menos a pescada grelhada (R$ 45,00), que, embora crocante e úmida, era pobre em sabor. Regar com o limão que vem junto ajuda.

Todos os pratos chegam acompanhados de uma seleção de petiscos, que podem mudar diariamente, estão inclusos no preço e fazem papel de couvert: panquequinha de vegetais levemente gordurosa, peixinhos secos, gelatina de castanha, abobrinha apimentada e o ardido kimchi, a acelga fermentada com pimenta seca.

Avaliação: BOM (três estrelas)

Continua após a publicidade

Clique para conferir o cardápio:

Cardápio Divulgação/Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

Valeu pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para curtir minha página no Facebook e minhas postagens no Instagram. As novidades quentes aparecem também no meu Twitter.

Continua após a publicidade
Publicidade