Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cozinha do Lorençato convida Belarmino Iglesias Filho

O empresário, à frente do Grupo Rubaiyat, conta como está realizando a reabertura de seu restaurante em Madri

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 29 Maio 2020, 16h00 - Publicado em 29 Maio 2020, 07h30

Quase um ano! O Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, chega ao episódio #51. Desta vez, com um entrevistado que está do outro lado do Oceano Atlântico. Meu papo é com o empresário Belarmino Iglesias Filho, sócio e comandante da rede Rubaiyat. Ele conversou comigo direto do restaurante de Madri, que acaba de ser reaberto depois de mais de 70 dias de quarentena na Espanha.

Do outro lado do Atlântico: a retomada das atividades comerciais na Espanha Arnaldo Lorençato/Veja SP

Sempre apoiado pela mulher, Ana, Iglesias está impressionado com o respeito dos espanhóis ao confinamento —  “Nunca vi tamanha obediência ao isolamento como na Espanha. Até 24 de maio, não se notava ninguém na rua” — , revela. “Reabrimos com 50% da área ao ar livre, o nosso terraço, e uma distância de 2 metros entre as mesas”. Os estabelecimentos que não cumprirem a lei, estão sujeitos a multas pesadíssimas.

Estamos lotados nos próximos quinze dias, tamanho o anseio que as pessoas tinham de voltar a sair de casa e consumir

Belarmino Iglesias Filho, sócio da rede Rubaiyat

Também se entusiasmou com a demanda. “Estamos lotados nos próximos quinze dias, tamanho o anseio que as pessoas tinham de voltar a sair de casa e consumir”, diz. “Somos cerca de pouco mais de 200 restaurantes em Madri com áreas ao ar livre para atender muito mais do que uma demanda reprimida — o anseio de voltar a comer em restaurante.”

Talheres e guardanapos são levados à mesa embalados a vácuo. Cortamos a embalagem e só o cliente toca neles

Belarmino Iglesias Filho, sócio da rede Rubaiyat

Os cuidados que está tomando vão da brigada aos clientes. “Recebemos cada funcionário de dez em dez minutos. Na chegada, medimos a temperatura dele, que higieniza as mãos e passa os sapatos numa solução antisséptica. Depois troca os sapatos e coloca o uniforme. Ninguém trabalha sem máscara e a maioria usa luvas”, explica. Depois de acomodado, o freguês faz o pedido baixando o cardápio via um QR code. “Talheres e guardanapos são levados à mesa embalados a vácuo. Cortamos a embalagem e só o cliente toca neles”.

O cliente está respeitando a distância de uma pessoa a outra, mas já está chegando sem máscara e não se preocupa tanto com a assepsia na mesa

Belarmino Iglesias Filho, sócio da rede Rubaiyat

Há marcações no piso desde a entrada, onde uma hostess de máscara e protegida por um vidro recebe e encaminha o público. As faixas estão inclusive no corredor que leva aos banheiros, com portas, torneiras e lixeiras automatizadas para que não se encoste em nada. “O cliente está respeitando a distância de uma pessoa a outra, mas já está chegando sem máscara e não se preocupa tanto com a assepsia na mesa”, espanta-se Iglesias, diante de pessoas que se esquecem de medidas essenciais como limpar as mãos com álcool em gel.

Para saber mais do que está rolando em Madri nesse papo revelador, dá o play no YouTube, no Spotify, no Deezer ou aqui:

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato
Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma

Continua após a publicidade
Publicidade