Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 27 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações de estabelecimentos. Além das atividades na Vejinha, leciona na Universidade Mackenzie

Cozinha do Lorençato convida Arri Coser

O empresário, sócio das redes NB Steak e Maremonti, conta como ingressou no delivery e fala sobre a sobrevivência dos restaurantes durante a pandemia

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 22 May 2020, 13h29 - Publicado em 22 May 2020, 12h30

O Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, cinquentou. Parece que foi outro dia, mas já está no ar a conversa #50. Isso mesmo! Desta vez, o convidado é o empresário gaúcho Arri Coser. Um visionário que ajudou a consagrar o antigo espeto corrido de beira de estrada em refeição de qualidade com a rede Fogo de Chão, que passou adiante em 2011. No retorno ao mundo dos restaurantes com o NB Steak, e redefiniu o sistema de rodízio de carnes ao propor que a maioria dos cortes chegasse à mesa porcionados nos bifes favoritos do cliente e no ponto certo. Também é sócio das trattorias Maremonti.

O distanciamento social deve encolher quando for descoberta a vacina contra o novo coronavírus. As pessoas gostam de estar próximas umas das outras, e não de estar longe

Arri Coser, sócio das redes NB Steak e Maremonti

Para Coser, não será apenas a pandemia da Covid-19 que fará o segmento de alimentação fora de casa se reinventar. “Todo o setor de gastronomia se reinventa de tempos em tempos. A gastronomia é igual à moda. Tem de se adaptar continuamente”, assegura.

O restaurateur: visionário ao reformular o antigo sistema de rodízio de carnes Arnaldo Lorençato/Veja SP

Embora não tenha dúvidas de que as tão necessárias normas vigentes de isolamento devam ser respeitadas, acredita que com a descoberta de um antídoto para o contágio virá um relaxamento. “O distanciamento social deve encolher quando for descoberta a vacina contra o novo coronavírus. As pessoas gostam de estar próximas umas das outras, e não de estar longe”, lembra.

O delivery veio para ficar. A demanda pelo serviço tem subido constantemente semana a semana. Agrega um conforto a mais para o cliente

Arri Coser, sócio das redes NB Steak e Maremonti

Desse período transformador, está convicto da permanência da entrega em domicílio.  “O delivery veio para ficar. A demanda pelo serviço tem subido constantemente semana a semana. Agrega um conforto a mais para o cliente”, avalia. Também acha que as saídas para comer na rua estão suspensas apenas temporariamente. “A experiência de ir a restaurantes não vai acabar. Haverá um conceito novo, adequado às novas normas de convivência.”

Continua após a publicidade

A experiência de ir a restaurantes não vai acabar. Haverá um conceito novo, adequado às novas normas de convivência

Arri Coser, sócio das redes NB Steak e Maremonti

Sob o período que vem se dedicando à gastronomia, em particular a última década, destaca que a evolução dos ingredientes. “No passado, não tínhamos o produto, que passou por uma evolução fantástica. Não se faz comida boa sem matéria-prima de primeira”, garante e lamenta: “Na última década, assistimos à valorização do pequeno e do médio produtor. Tenho medo que voltemos para trás nos próximos dois ou três anos.”

Para ouvir esse papo repleto de boas histórias dá o play no YouTube, no Spotify, no Deezer ou aqui:

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato
Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma

Publicidade