Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cozinha do Lorençato convida Thiago Bañares

O chef e sócio do Tan Tan Noodle conta como será o Ototo, a cozinha que está montando apenas para entregas

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 17 abr 2020, 16h35 - Publicado em 17 abr 2020, 08h30

Parece que a série de programas começou outro dia. Que nada! O Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia chega à edição #45 sem falhar nenhuma semana. Nada me afastou do ouvinte fiel e atento, nem mesmo os efeitos deletérios do novo coronavírus. Como acontecerá até se possa ter segurança para circular, os papos serão gravados via Skype com cada um no seu canto. O som pode não ficar tudo isso. Mas o importante é levar essas conversas tão saborosas semanalmente aos fãs de gastronomia.

Todo restaurante que abrir a partir de agora, sempre será aberto pensando em um braço para entrega

Thiago Bañares, do Tan Tan Noodle Bar

No número #45, o convidado é Thiago Bañares chef e sócio do Tan Tan Noodle, um dos bares-restaurantes de maior sucesso da cidade antes da necessidade de isolamento social. Aliás, a casa de cozinha asiática, que tinha acabado de passar por uma reforma e dobrado o número de lugares, contava com um projeto paralelo. É o Ototo, uma cozinha especial para delivery, cujas obras encontram-se momentaneamente paradas. “Todo restaurante que abrir a partir de agora, sempre será aberto pensando em um braço para entrega”, pontifica.

 

O chef e sócio: cardápio especial para o delivery do Ototo Arnaldo Lorençato/Veja SP

A situação atual acelerou o processo de preparar e enviar comida até os clientes. “Não quis replicar o cardápio do Tan Tan. Há pratos que não viajam bem e também queria proporcionar uma experiência diferente com marmitas japonesas, os bentôs”, conta.

Não vendia nem comida nem bebida. Até a pandemia, vendia experiência

Thiago Bañares, do Tan Tan Noodle Bar

Bañares não vê a hora de reabrir o bar e voltar a receber a clientela, que não cabia no salão e se esparramava por banquetas na calçada junto ao meio-fio. “Não vendia nem comida nem bebida. Até a pandemia, vendia experiência”, diz sem modéstia.

A maneira de inovar no cardápio do Tan Tan [Noodle Bar] era pegar pratos comuns no Japão, mas não aqui. Um dos maiores sucessos é o katsu sando, que conheci pelo Instagram

Thiago Bañares, do Tan Tan Noodle Bar

Também conta histórias divertidas, entre elas como descobriu um dos itens mais vendidos do menu. “A maneira de inovar no cardápio do Tan Tan era pegar pratos comuns no Japão, mas não aqui. Um dos maiores sucessos é o katsu sando, que conheci pelo Instagram”, revela esse fã da rede social, que usou para bombar o restaurante antes mesmo da abertura. “Nos sete ou oito meses de obras, fiz postagens também no Instagram sobre o andamento da obra. Isso criou um hype muito grande. Se tem um lado positivo que é atrair clientela, por outro, joga a expectativa lá em cima.”

Para ouvir essas e outras histórias temperadas com bom-humor, dá o play no YouTube, no Spotify, no Deezer ou aqui:

Continua após a publicidade
Publicidade