Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Conversa em torno do vinho com Marcos Martins

Nesta noite (22), chegamos ao último papo sobre vinhos e Marcos Martins é meu convidado na Equipotel. Entre 18h30 e 19h30, o sommelier explica o bê-á-bá da montagem de uma adega e dá dicas sobre como se elabora uma carta para um restaurante. Também esclarece quais vinhos devem ser mantidos climatizados, quais podem ficar em […]

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 26 fev 2017, 10h05 - Publicado em 22 set 2016, 16h43
Martins: harmonizações que vão além do vinho (Foto: divulgação)

Martins: harmonizações que vão além do vinho (Foto: divulgação)

Nesta noite (22), chegamos ao último papo sobre vinhos e Marcos Martins é meu convidado na Equipotel. Entre 18h30 e 19h30, o sommelier explica o bê-á-bá da montagem de uma adega e dá dicas sobre como se elabora uma carta para um restaurante. Também esclarece quais vinhos devem ser mantidos climatizados, quais podem ficar em temperatura ambiente e qual a durabilidade de cada garrafa, dependendo da qualidade da bebida.

+ O evento de vinhos de Veja São Paulo na Equipotel

Embora tenha uma carreira voltada ao universo da bebida há mais de uma década, Martins só fez sua estreia como sommelier em restaurantes um ano atrás quando participou da inauguração do contemporâneo Tête à Tête. E começou com um desafio, já que não é tão simples harmonizar vinhos e comida moderna como a elaborada pelo chef Gabriel Matteuzzi.

O paulistano de 33 anos, formado em gastronomia pela Universidade Cruzeiro do Sul, nunca sonhou em ser chef. Desde o começo sabia que gostaria de bebidas e do serviço no salão. “O curso de tecnólogo foi uma maneira de me aproximar da profissão”, ele me contou.

Continua após a publicidade

+ Em vídeo: tudo sobre o projeto Conversas em torno do vinho

A estreia de Martins no mundo da bebida foi no Santo Grão treze anos atrás, trabalhando com café. Logo ele se interessou por vinhos e passou uma temporada de sete anos na importadora Smartbuy Wines, dedicada aos vinhos americanos.

Consequência natural de sua paixão pela bebida, ele não cursou a ABS (Associação Brasileira de Sommeliers-SP), mas fez seus estudos na área no curso de formação de sommelier do Senac. Gostou tanto do aprendizado que chegou a lecionar no mesmo curso logo depois que se formou.

Em 2015, veio o convite de Matteuzzi para que Martins montasse a carta de vinhos do Tête à Tête. “Entrei como sommelier, mas passei a cuidar de todas as bebidas do restaurante, inclusive escolho os cafés que servimos”, diz. Também dá palpites na carta de coquetéis.

No Tête à Tête, a harmonização proposta pelo sommelier não se limita a vinhos. Ele mantém também cerveja e cachaça. Mas se o cliente não topar a brincadeira, Martins serve apenas vinhos.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível saber as novidades pelo Twitter e pelo Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade