Cepa é uma criação de chef e sommelière no Tatuapé; leia a crítica

Restaurante com cardápio variado fica na Zona Leste e traz receitas de Lucas Dante e harmonizações de Gabrielli Fleming

Como já aconteceu em alguns restaurantes da cidade, mais recentemente no Charco, na região dos Jardins, outro endereço que acaba de ser inaugurado é comandado por um casal. E num ponto cada vez mais gastronômico da capital: o Tatuapé. Negócio familiar instalado num antigo delivery após sete meses de reforma a um custo de 300 000 reais, nos cálculos dos proprietários, o Cepa é um projeto do chef Lucas Dante e de sua mulher, a sommelière Gabrielli Fleming, ambos ex-Hospedaria.

Enquanto Dante se incumbe de preparar as receitas sazonais do reduzido cardápio, Gabrielli recepciona os clientes, faz sugestões e indica possíveis harmonizações com vinhos.

Para quem acha que porco é tudo de bom, não dá para pular a seleção de carnes curadas: papada, pancetta, copa e lardo (R$ 26,00) de produção própria — certamente uma influência dos cinco anos em que Dante foi subchef de Marco Renzetti no Osteria del Pettirosso.

Outra pedida suína é a paleta de pele pururuca com purê de maçã, brócolis e a bem-vinda acidez de picles de cebola (R$ 48,00). Embora a textura da carne fosse ótima, com um toquezinho de sal a mais ficaria melhor.

Pedida suína: paleta de pele pururuca com purê de maçã, brócolis e picles de cebola

Pedida suína: paleta de pele pururuca com purê de maçã, brócolis e picles de cebola (Clayton Vieira/Veja SP)

Ainda entre os pratos principais, o peixe do dia, que pode ser congro-rosa ou robalo-peba, por vezes chega na companhia de uma massa da Sardenha, a fregola apimentada com tomate-cereja (R$ 47,00).

Peixe do dia ao lado de fregola

Peixe do dia ao lado de fregola (Clayton Vieira/Veja SP)

Provei as três sobremesas (R$ 16,00 cada uma) do cardápio, duas delas de sabor intenso. É o caso do bolinho morno de chocolate com sorvete de kefir, um aparentado do iogurte, e da compota de tangerina com um travo amargo na companhia de ricota e pistache. No outro extremo, mostra-se muito delicada a combinação de pera cozida com gelatina de espumante.

Uma das três: compota de tangerina com ricota e pistache

Uma das três: compota de tangerina com ricota e pistache (Clayton Vieira/Veja SP)

Avaliação: BOM (três estrelas)

Clique para conferir o cardápio:

 

 

 

 

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma
+ O tiramisu original
+ O melhor petit gâteau do Brasil

E para não perder as notícias mais quentes que rolam sobre São Paulo, assine a newsletter da Vejinha

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s