Quatro quadrinhos inusitados que você pode encontrar na Comic Con

Achamos narrativas com macacos astronautas e histórias com um homem-peixe em um mundo apocalíptico

Aberta na quinta-feira (6) na SP Expo, na Zona Sul, a Comic Con reúne os fãs da cultura pop para um evento que conta com a presença de gigantes do entretenimento, como o Netflix e a HBO.

Além das empresas de destaque internacional, a feira mantém um espaco para os artistas dos quadrinhos: no Artist’s Alley, 352 mesas concentram cerca de 540 quadrinistas brasileiros e estrangeiros, que expõem seus trabalhos e podem ainda bater um papo com os fãs e distribuir autógrafos.

Batemos perna nesse setor da Comic Con, e selecionamos quatro quadrinhos com tramas inusitadas que você pode encontrar por lá. Confira:

  • Série Eventos Semi-Apocalípticos

 (Guilherme Queiroz/Veja SP)

Nessa série de divertidas histórias do quadrinista Yoshi Itice, os personagens vivem em um mundo que está na beira de um apocalipse. No caso do quadrinho com um peixe desenhado na capa, dois amigos encontram um caixa de supermercado que não percebeu que o mundo está acabando e continua indo trabalhar todos os dias, e por acaso, esse trabalhador comprometido é um homem-peixe.

  • Marco, o Macaco do Espaço

 (Guilherme Queiroz/Veja SP)

Na história de Daniel Lopes, um macaco é enviado para o espaço em um episódio que ocorre durante a corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética. O primata sobrevive, e agora tem que lidar com alienígenas e outros problemas enfrentados por quem vive fora da Terra.

  • Kris Klaus, Papai Noel Casca Grossa

 (Guilherme Queiroz/Veja SP)

Vampiros iniciam ataques em cidades ao redor do globo, tentando dominar o mundo. Mas eles escolhem uma data especial para o início da operação, o Natal. O que eles não sabem, é que terão que lidar com o próprio Papai Noel, que possui um passado marcado por mortes e destruição. História e ilustrações são de Maurício Muniz e Joel Lobo.

  • As Traumáticas Aventuras do Filho do Freud

Quem nunca ouvir falar do pai da psicanálise, Sigmund Freud? Mas já imaginou uma história em quadrinhos que falasse não só sobre o intelectual e suas teorias, mas também sobre como é ser filho do filósofo? Essa é a proposta do quadrinho de Pacha Urbano.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s