Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quando foi a última vez que você levou seu gato ao veterinário?

Para conscientizar os tutores, uma van itinerante da Royal Canin estacionará em pontos da capital, fornecendo orientações sobre o bem-estar dos felinos

Por Abril Branded Content 20 set 2019, 11h30

Eles são inteligentes, ágeis e têm aquela fama de independentes. Mas quem tem o prazer de dividir o lar com um gatinho conhece bem sua personalidade dócil. Companheiros fiéis, eles também adoram um bom carinho na barriga! No Brasil, os bichanos já representam 23,9 milhões da população de pets, que hoje contabiliza um total de 139,3 milhões de animais – crescimento de 8,1% em relação ao último levantamento, realizado em 2013.

Não há dúvidas que a relação humano-felino é uma via de mão dupla, repleta de benefícios. Se, de um lado, os gatos ganham a segurança e o aconchego de um lar, para nós, o convívio com o pet traz melhorias para a saúde física e mental, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares, reforçando o sistema imunológico e, claro, diminuindo os níveis de estresse e o desenvolvimento de depressão.

Mas, então, por que mesmo considerados como “membros da família” pela maioria dos tutores, 42% dos donos de gatos brasileiros adiam a visita ao consultório e procuram informações na internet, de acordo com uma pesquisa realizada pela Royal Canin? “Sabemos que levar um gato ao consultório não é simples. O animal é retirado de seu ambiente de conforto e colocado em um caixa pequena, onde pode sentir náuseas, além de ser manipulado por pessoas estranhas. Para os tutores, há o medo de fuga, receio do que será feito com o animal na consulta e o temor de um diagnóstico grave”, analisa Pedro Horta, sócio do Hospital 4Cats e especialista em medicina veterinária felina.

Com o objetivo de mudar esse cenário e enfatizar a necessidade do cuidado médico preventivo, a Royal Canin lançou a campanha Saúde é única para cada gato – Meu Gato No Vet. Entre as ações, destaque para a van itinerante da marca, que funcionará como uma espécie de “consultório” móvel, fornecendo aconselhamentos e orientações sobre a saúde e o bem-estar dos bichanos (veja a programação da van ao final desta matéria).

Van Royal Canin
Blitz #MeuGatoNoVet: com uma equipe de profissionais, a van estacionará em pontos estratégicos da capital. Mariana Pekin/Abril Branded Content

#MeuGatoNoVet

O cuidado preventivo por meio de visitas anuais ou semestrais ao veterinário é essencial para a qualidade de vida dos felinos. Afinal, cabe aos especialistas acompanhar cada detalhe do comportamento do animal, além de seu histórico médico, monitoramento de peso e tamanho. A seguir, confira alguns motivos importantes para manter uma rotina de consultas do seu gatinho.

Check-up

Assim como nós fazemos exames e avaliações periódicas, esse hábito permite cuidados mais precisos e uma vida mais longa aos felinos. “A frequência dependerá da idade, raça e estilo de vida do animal. De modo geral, recomenda-se uma avaliação anual para animais de até 8 anos. Depois disso, as visitas devem ser feitas a cada 6 meses”, orienta Pedro Horta. Exames laboratoriais ou de imagem podem ser sugeridos, permitindo o diagnóstico precoce de alterações e melhores chances de tratamento, cura ou controle.

Vacinas

Todos os gatos precisam ser vacinados, independentemente do estilo de vida, raça, sexo e idade. “Animais que têm acesso à rua ou convivam com outros animais precisam de uma maior variedade e frequência nas vacinas. Os pets idosos também devem ser imunizados, pois estão predispostos a doenças infecciosas”, alerta o especialista.

Alimentação

Um dos temas de maior interesse nas consultas é a nutrição do animal. De acordo com o estudo realizado pela Royal Canin, 49% dos tutores discutem a alimentação em todas as consultas e 61% consideram o veterinário a fonte mais confiável de informação para o tema. Como os gatos possuem 20 vezes menos papilas gustativas, o aroma e a textura do alimento desempenham um papel fundamental, tornando-o mais atrativo. Combinar alimentos secos e úmidos, por exemplo, cria uma variedade de texturas que aumenta o interesse dos gatos e auxilia na hidratação. “Atualmente, um grande problema nutricional entre os felinos é a obesidade, o que pode acarretar uma série de problemas. O tratamento envolve atividade física, alterações na rotina e uso de alimentos específicos”, alerta o veterinário do Hospital 4 Cats.

4 dicas para levar o seu bichano ao veterinário

A preparação deve começar antes mesmo do “dia D”. Pensando nisso, a Royal Canin preparou algumas dicas para garantir o transporte confortável do seu gatinho e uma melhor experiência na próxima consulta. Aproveite e confira outras informações importantes na websérie O Mundo Dos Gatos.

1. Acostume seu gato a ser tocado: muitos animais não têm intimidade com o toque humano – especialmente aquele feito pelo veterinário, e podem ficar estressados com a sensação. Para reduzir a ansiedade, vá acariciando-o gradativamente.

Continua após a publicidade

2. Deixe-o mais confortável na caixa de transporte: para que ele se acostume, coloque a caixinha no ambiente da casa em que o gato passa a maior parte do tempo. Deixe uma mantinha de que ele goste e também alguns brinquedos lá dentro.

3. Escolha uma clínica cat-friendly: esses consultórios têm adaptações especiais para diminuir o estresse dos felinos. Ao chegar, cubra a caixa de transporte para aliviar a tensão.

4. Permaneça calmo: assim você transmitirá segurança ao pet e ele se sentirá mais confortável.

Serviço

Van Royal Canin #MeuGatoNoVet

21/9 – Parque Villa Lobos

22/9 – Parque Cândido Portinari

28/9 – Copan

29/9 – Parque da Aclimação

5/10 – Praça Sílvio Romero

6/10 – Copan

12/10 – Praça Benedito Calixto

13/10 – Parque da Juventude

Horário: das 9h às 17h (sujeito a alteração).

Acompanhe o Facebook e o Instagram da Royal Canin para ficar por dentro das novidades da marca.

Continua após a publicidade
Publicidade