Mistérios da Cidade

Em perigo no zoo: bichos ameaçados de extinção

Conheça alguns animais, presentes no Zoológio de São Paulo, que correm risto de desaparecer no país

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Silas Colombo]

Arara-azul-de-lear
Arara-azul-de-lear (Foto: Divulgação)

O Zoológico de São Paulo recebeu nesta semana três machos de muriqui-do-sul, primata considerado em “perigo crítico” entre a fauna brasileira ameaçada de extinção: existem apenas dezenove exemplares em cativeiro no país. Eles se unem a outras espécies do parque também sob risco.

Arara-azul-de-lear: dieta: sementes de licuri, pinhão e umbu; longevidade: 60 anos; habitat: caatinga, cânions e rochedos da Bahia; ameaça de extinção: crítica.

Cachorro-vinagre: dieta: carne; longevidade: 10 anos; habitat: florestas das Américas Central e do Sul; ameaça de extinção: vulnerável.

Lobo-guará: dieta: variada; longevidade: 13 anos; habitat: campos da América do Sul; ameaça de extinção: vulnerável.

Mico-leão-preto: dieta: frutas e insetos; longevidade: 15 anos; habitat: Mata Atlântica do estado de São Paulo; ameaça de extinção: crítica.

Tamanduá-bandeira
Tamanduá-bandeira (Foto: Divulgação)

Onça-pintada: dieta: carne; longevidade: 25 anos; habitat: cerrado, caatinga e florestas, do sul dos Estados Unidos à Argentina; ameaça de extinção: vulnerável.

Tamanduá-bandeira: dieta: insetos; longevidade: 15 anos; habitat: campos e cerrados das Américas Central e do Sul; ameaça de extinção: vulnerável.

+ Fundação Pró-Sangue precisa de doações

+ Paulistanas são as mais sexy do país

+ Inovações tecnológicas na hora das compras

Fonte: VEJA SÃO PAULO