Economia

Descobrimos o segredo dos preços baixíssimos de um mercado no centro

Localizado próximo ao Terminal Parque Dom Pedro II e à Rua 25 de Março, estabelecimento é um dos endereços procurado por fãs de ofertas

Por: Andreza Monteiro - Atualizado em

Mercado Vovó Zuzu
Setor dos frios e laticínios: o ambiente mais concorrido do estabelecimento (Foto: Andreza Monteiro)

Quem costuma frequentar o Supermercado Vovó Zuzu, na região central, já não se espanta mais com os preços baixos praticados no local, principalmente nos itens de laticínios.

Instalado há mais de onze anos ao lado do terminal de ônibus Parque Dom Pedro II e com acesso também pela Rua 25 de Março, o negócio adota uma prática comum nos mercados menores: a negociação de mercadorias que estão próximas do vencimento da validade, garantindo as pechinchas.

+ 25 produtos muito caros encontrados na Rua 25 de Março

Segundo um dos gerentes do estabelecimento, Francisco Barbosa, o modelo impulsionou as vendas, por isso o proprietário investe pesado nas negociações com os fornecedores. "Como temos contato direto com os fabricantes, conseguimos trazer diversos produtos que estão a quinze, vinte dias do vencimento. Daí os nossos preços serem tão mais baixos", explica.

Mercado Vovó Zuzu II
Sempre cheio, o supermercado é o queridinho da região por ser imbatível nas ofertas (Foto: Andreza Monteiro)

A prática é bastante conhecida no meio. Mas nem sempre o consumidor encontra promoções em que os valores chegam a surpreendentes 700% de diferença em relação aos preços praticados por outros supermercados da cidade.

Parece pegadinha, mas é possível. Um exemplo disso é a embalagem com 400 gramas de fondue de queijo da marca Tirolez, que custava 2,99 reais no último dia 30, quando a reportagem de VEJA SÃO PAULO esteve no local. Em uma busca feita nos sites de grandes mercados de São Paulo, o valor do produto fica entre 24 e 26 reais. A desvantagem é o prazo de validade mais curto. No mercado do centro, o limite para consumo seguro era em 27 de outubro.

Barbosa diz que, embora seja bom para o consumidor, investir nesse tipo de estratégia de vendas é arriscado para o negócio. "Há pouco tempo para vender uma grande quantidade de produtos com a validade quase expirando", afirma. A localização do mercado, porém, ajuda a mercadoria a não ficar encalhada. "O maior fluxo que temos aqui são de usuários do terminal Parque Dom Pedro. A pessoa vem uma vez e vê que é mais em conta, aí passa a vir sempre no trajeto de ida e volta do trabalho.”

Ao ser questionado sobre os itens que têm mais demanda, ele reforça a fama do setor de laticínios: “Sem dúvida são os iogurtes, queijos, requeijões, entre outros, que sempre estão com preço bom”.

+ Nove lojas boas e baratas na Liberdade

O melhor horário para ir às compras é no período da manhã, por volta das 9h. Em contrapartida, visitar o espaço no período da tarde, por volta das 15h, pode ser um teste de resistência devido à superlotação do local. Andar com o carrinho de compras pelos corredores é para os fortes (e pacientes).

Fondue de queijo Tirolez (400g)
Fondue de queijo da Tirolez (400g): no Vovó Zuzu o cliente levava o item por R$ 2,99 no dia 30 de setembro (Foto: Andreza Monteiro)

A dona de casa Maria Auxiliadora Batista, de 37 anos, afirma que passou em frente ao mercado há algum tempo e resolveu pegar um folheto para conferir os ofertas da semana. Resultado: encantou-se com o preço baixo do iogurte preferido do filho.

Moradora do Tatuapé, ela conta que vale a pena gastar um pouco de tempo no transporte público para fazer compras no Vovó Zuzu: “No mercado perto da minha casa, o iogurte que compro aqui por pouco mais de 1 real sai entre 3 e 4 reais."

Confira abaixo uma galeria com os melhores "achados" da reportagem ao visitar o Vovó Zuzu. Os preços são do dia 30 de setembro de 2016 e esses produtos podem não estar mais disponíveis por lá:

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O Vovó Zuzu está localizado na Rua Dom Pedro II, 928, centro. Telefone: 3469-6900. 

Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 6h30 às 22h; domingos e feriados, das 8h às 19h.

Fonte: VEJA SÃO PAULO