Edição 2012

Virada Cultural terá mais atrações internacionais e teatro ao ar livre

Evento ocorre nos dias 5 e 6 de maio e expande seu território para o Minhocão com uma feira gastronômica

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

Virada Cultural
Agito no centro: no ano passado, Virada Cultural reuniu cerca de 4,5 milhões de pessoas (Foto: Sylvia Masini)

Em sua 8ª edição, a Virada Cultural 2012 está marcada para os dias 5 e 6 de maio, com maior investimento em artistas internacionais e encenação de boas peças ao ar livre. Com 24 horas de atrações no centro da cidade, o evento que no ano passado reuniu cerca de 4,5 milhões de pessoas, segundo a organização, agora expande seu território para o Minhocão, onde chefs famosos como Alex Atala (Dalva e Dito e D.O.M.) e Benny Novak (Ici Bistrô, Tappo Trattoria e 210 Diner) vão servir aperitivos para o público, ao valor de 5 a 15 reais. No local, também ocorrerá o Mercado Mundo Mix.

+ Baixe aqui a programação completa e oficial do evento em PDF

+ Tudo sobre a Virada Cultural 2012

“Quisemos aproveitar a onda de grandes shows e festivais com nomes internacionais no país”, explica o diretor da Virada José Mauro Gnaspini. Entre os gringos, não há nomes de grande peso, mas constam atrações como a banda americana Suicidal Tendencies e o saxofonista de jazz Lou Donaldson. O nigeriano Seun Kuti, filho de Fela Kuti (o inventor do afrobeat), toca acompanhado da banda de seu pai, Egypt 80, no palco localizado na Praça Júlio Prestes. O espaço é voltado para a sonoridade africana e sua programação será fechada por Gilberto Gil. Entre os nomes nacionais, há destaque também para o grupo Titãs, que faz o show de seu disco mais icônico, “Cabeça Dinossauro” (1986).

+ Em show com levada punk, Titãs comemora 30 anos de carreira + Calendário: os festivais que vão agitar 2012

+ Os shows que rolam na cidade

Nesta edição, os grandes homenageados são Elis Regina e Nelson Rodrigues. Elis, que morreu há 30 anos, ganhará um palco (o Bulevar São João) onde 17 de seus álbuns serão interpretados por artistas como Tatiana Parra e Jair Rodrigues, que fecha a programação relembrando “Dois na Bossa”, lançado em 1965. Já Nelson Rodrigues será lembrado no Sesc Belenzinho em peças de teatro, shows, espetáculos de dança e exibições de filmes. Entre as atrações estão as boas peças “O Beijo no Asfalto” e “Os Sete Gatinhos” e uma apresentação da Orquestra Imperial.

+ Homenagem a Elis Regina reúne livro, exposição e show

+ "O Beijo no Asfalto" preserva a alma transgressora de Nelson Rodrigues

+ "Os Sete Gatinhos" ganha montagem arrojada

O teatro, aliás, tem papel importante na Virada, com peças encenadas ao ar livre em espaços como o Pátio do Colégio. Destacam-se entre as montagens a premiada “Luis Antonio – Gabriela”, que ganhou o prêmio Shell deste ano de melhor direção, e o drama “R&J de Shakespeare — Juventude Interrompida”. Em algumas unidades do CEU, também serão encenadas “Adultérios”, com Fábio Assunção”, e “Cruel”, que tem no elenco Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo.

+ Documentário cênico "Luis Antonio — Gabriela" inquieta o espectador

+ Norival Rizzo e Fábio Assunção fazem boa parceria em "Adultérios"

+ Reynaldo Gianecchini vai às lagrimas em volta aos palcos

Outra novidade desta edição é o palco Cabaré, que reunirá performances de Gretchen e Rita Cadillac e apresentações do projeto “Broadway in Concert”, com canções de musicais famosos como “Chicago” e “Cats”.

Assim como no ano passado, a luta livre marcará presença no evento, que abrigará o Campeonato Sul Americano da categoria, pela primeira vez no Brasil. Fábio Porchat, Diogo Portugal e Danilo Gentili fazem o repeteco do espaço voltado para a stand-up comedy.

+ No ano de seu centenário, Teatro Municipal volta à cena de cara nova

Por fim, o Teatro Municipal, devidamente reformado, volta a receber atrações. Entre elas estão Cauby Peixoto e Ângela Maria cantando o disco “Odeon”, de 1982, e a cantora e atriz Zezé Motta relembrando seu álbum homônimo lançado em 1978.

Fonte: VEJA SÃO PAULO