Zona Leste

Sesc Belenzinho faz homenagem ao improviso na Virada Cultural

Shows, espetáculos de dança e filmes com trilhas sonoras inseridas na hora estão na programação

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

Show do Zeca Baleiro
Zeca Baleiro: cantor e compositor maranhense apresenta o 'Maratona Álbum', às cinco da manhã (Foto: Divulgação)

Com mais de 30 atividades durante a Virada Cultural, o Sesc Belenzinho traz a arte do improviso como foco principal. Peças de teatro envolvendo o público,  shows do projeto Álbum, com Zeca Baleiro e Fernandinho Beat Box e ainda workshops de fotografia e aulas de Tai Chi Chuan. 

► TEATRO

  • Edukators - sessão extra. Baseda no filme homônimo de 2004, a peça é um manifesto da nova geração, carente de utopias e ideias. Conta a história de três jovens que acreditam que podem mudar o mundo com suas ações "pacifistas", ao invadir mansões para espalhar mensagens de protesto. Não recomendado para menores de 12 anos. Dia 19/05, à 1h. Sala de Espetáculos II (100 lugares).
  • Amor de Improviso. Fragmentos de histórias de amor, interpretados pelos atores e construídos naquele instante e com encenação diferente a cada apresentação, imoprovisando de acordo com o "campo de visão", sistema de crianção da Cia. Elevador. Não recomendado para menores de 14 anos. Dia 18/05, às 23h30. Sala de Espetáculos I. (100 lugares).
  • Ares do Oriente. Da Cia. Pé No Canto, espetáculo sonoro onde o público é convidado a descobrir o segredo do vento, com roupas e instrumentos tocados pea relação do ar, em que se instaura a dramaturgia participativa. Livre.18/05, entre 19h e 22h. Praça
  • Foi o Acaso ou o Destino que nos Juntou? Com As Rutes, a ação performática tem como mote o sentido e a importância do acado e do destino na vida dos participantes. Livre. Dia 18/05, entre 21h e 23h59; Dia19/05, entre 0h e 04h.
  • Otra Frecuencia.  Áudio performance em duplas em que os atores são os próprios espectadores que em par empreendem viagens bem diferentes ousando mudar a percepção de mundo a cada instante, transitando por vivências de um personagem virtual, cada um com uma missão a cumprir.  Não recomendado para menores de 14 anos. Dia 18/05, das 18h às 23h59. Dia 19/05, das 0h às 5h. Área de Convivência. Inscrições no local.
  • Teatro à La Carte. Com Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Víscera. Em espaços alternativos, encenam fragmentos de espetáculos de teatro de diferentes linguagens e estilos retirados do repertório, que variam entre o drama, tragédia, comédia, tragicomédia, realismo-mágico, teatro do absurdo e infantil. As cenas são oferecidas em um cardápio cênico composto por mais de 30 cenas, que variam de 3 a 8 minutos de duração, divididos numa apresentação de 60 minutos. Livre. Dia 18/05, entre 21h e 23h59.
  • Improviso García Márquez.  Com Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Víscera. Instalação encenada que trata da obra do latino-americano Gabriel García Márquez, trazendo o realismo fantástico deste grande autor para o teatro, utilizando de improvisações sobre os temas do autor durante a execução da instalação. Livre. Dia 19/05, das 0h às 03h.
  • Instaurações. Ação coral espontânea e improvisada através do Campo de Visão. Sem aviso, um indivíduo comum, com trajes cotidianos inicia uma série de movimentos. Pouco a pouco, outros indivíduos e possíveis desavisados se unem a ele copiando os movimentos. Em meio a ações individuais, Instaurações fará surgir uma ação coletiva em que se sentirá a possibilidade do “caminhar juntos” sem estigmas ou padrões pré-concebidos. Livre. Dia 19/05, às 02h. Praça.
  • Sinfonia de Rampas. Com a Cia Pé no Canto. Rampas de madeira com seus suportes de inclinação, onde cada uma possui em média 160 pregos afinados e tocados por uma bolinha de gude. O timbre metálico e delicado que produzem ganham riqueza sonora acompanhados de instrumentos clássicos das orquestras como trompa e trompete. Livre. Dia 19/05, entre 0h e 03h. Praça.

► MÚSICA

  • Álbum. O projeto remonta a memória da música brasileira por meio de registros fonográficos que ajudaram a consolidar sua história. Artistas apresentam integralmente discos considerados “clássicos” pela sua importância histórica, inovação estética, atemporalidade e pela influência nas produções da nova geração, destacando assim o contexto artístico e trazendo ao público a estética de uma época. Todos os trabalhos serão revisitados pelos próprios autores que o compuseram.
  • Tarancón - Maratona Álbum. Grupo pioneiro em mesclar música brasileira com a latino-americana. Começou sua trajetória no inicio da década de 70 e até hoje se mantém na estrada. No show, o grupo apresenta o repertório do disco de 1976, Gracias a la Vida. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 18/05 às 23h. Comedoria. (500 pessoas).
  • Wilson das Neves - Maratona Álbum. O baterista Wilson das Neves é referência da MPB como instrumentista, tendo acompanhado músicos como Chico Buarque, Sarah Vaughan, Michel Legrand, Clara Nunes, Elizete Cardoso, Beth Carvalho. Desde 2003 é integrante da Orquestra Imperial. Neste show, apresenta o repertório de seu primeiro disco, Som Quente é o Das Neves (1976). Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 18/05, às 20h. Comedoria. (500 pessoas).
  • Skowa e a Máfia - Maratona Álbum. O grupo, idealizado pelo músico e cantor Skowa em 1987, apresenta seu primeiro disco, gravado em 1989, intitulado La Famiglia que projetou nacionalmente a banda através do hit Atropelamento e Fuga. A banda terminou em 1991 e em 2006 volta a ativa em apresentações na Virada Cultural. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 19/05, às 02h. Comedoria (500 pessoas).
  • Zeca Baleiro - Maratona Álbum. O terceiro disco do cantor e compositor maranhense, Líricas (2000), representa uma ruptura com seus trabalhos anteriores marcados pela experimentação entre ritmos brasileiros e música eletrônica. Com uma sonoridade que remete ao folk, o álbum composto por 12 canções é apresentado na íntegra com músicos que gravaram o disco original. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 19/05, às 05h. Comedoria (500 pessoas). Grátis.
  • Poin - Pequena Orquestra Interativa. A POIN é um trabalho paralelo dos integrantes da Cia Cabelo de Maria, quarteto formado por uma regente e por atores/músicos que tocam ukelele, acordeom, violino e percussão e que tem como principal característica a interatividade com o público, que é incluído de diferentes formas em todos os números musicais instrumentais apresentados. Livre. Dia, 18/05, entre 18h30 e 2359; Dia 19/05, entre 0h e 1h30.Praça.
  • Fernandinho Beat Box. Conhecido por propagar o hip hop no Brasil, começou a carreira aos 18 anos com o grupo de rap Z’África Brasil, e acompanhou por algumas turnês o cantor Marcelo D2. Nesta apresentação, atuando como rapper e beatboxer, o artista traz ao público algumas de suas composições autorais e clássicas do hip hop. Livre. Dia 19/05, às 04h30. Praça.

► CIRCO

  • Matcha. Com Célio Amino. Tendo a Cerimônia do Chá como inspiração, o artista circula com seu carrinho de chá oferecendo aos convidados seus números de mágica. Dia 18/05, entre 18h e 23h59, Dia 19/05, entre 0h e 01h. Praça e Foyer do teatro, 3º andar.
  • Bufonarias II. Com Trupe Olho da Rua. Espetáculo circense no melhor estilo do circo–teatro popular, originado de uma pesquisa sobre gags tradicionais de picadeiro e números realizados por artistas populares (palhaços) nas praças com alto grau de improvisação e interatividade. Livre. Dia 18/05 às 18h e às 20h30. Praça.
  • Saltimbembe Mambembancos. Com Rosa dos Ventos. É um espetáculo que representa artistas cômicos populares e improvisadores por opção. Influenciados pelo teatro, circo, palhaços de circos pequenos principalmente pelos artistas de rua puladores de arcos da faca, vendedores de pomadas milagrosas, telepatas e repentistas que viajam de cidade em cidade vivendo de sua arte. Números que incluem malabarismo, acrobacias de solo e perna de pau são acompanhados por música ao vivo. Livre. Dia19/05, às 17h. Praça.

► DANÇA

  • 50 Metros Rasos. Com o Coletivo Saut dans le Vide. Performance interativa dançante que pretende instigar a participação do público a partir da interação com o espaço cênico itinerante, oferecendo à plateia a possibilidade de participar da cena, utilizando-se da linguagem audiovisual. O público será convidado a interagir com a performance, ora compartilhando músicas arquivadas em seus celulares para que estas façam parte da cena, ora gravando em vídeo, nos respectivos celulares, as cenas da performance. Livre. Dia 18/05, às 23h30. Praça.
  • Cardápio de Dança. Com Liga da Dança Dura. Obra de improviso cênico livremente inspirada nos pedidos dos transeuntes e composta por células coreográficas criadas no espaço em que a dança acontece. Os pedidos são interpretados e improvisados em forma de dança, tendo como ponto de partida as sensações que as escolhas e histórias do público despertam. Livre. Dia 18/05, entre 18h e 23h59; Dia 19/05, entre 0h e 01h. Praça.
  • Playlist. Com o Coletivo Movasse. Playlist é uma obra a ser construída a cada apresentação. São 45 minutos cênicos completamente improvisados. Baseadas em elementos definidos pelo público, quer seja na sorte ou por sua escolha, as improvisações se estabelecem através do uso da coletividade e da imaginação. Playlist se torna um evento sem amarras ou paradigmas, interagindo de forma harmônica com um público estimulador. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 18/05, às 20h30. Sala de Espetáculos I (100 lugares).
  • Jam de Danças Urbanas. Com Frank Ejara e Discípulos do Ritmo. Quinze dançarinos e um DJ apresentam uma jam com performances variadas e improvisação de danças urbanas. Livre. Dia 19/05, às 01h15 e às 03h30. Praça.
  • Oráculo. Com Coletivo Maya Lila. O oráculo é uma performance ritualística em que três criaturas cegas potencializam um portal para um lugar transcendental e incentivam, de modo não impositivo, transeuntes a realizarem perguntas que serão respondidas por cada uma através de danças-respostas improvisadas. Por duas horas, três bailarinas se instalam em um local público vestindo máscaras que cobrem totalmente suas visões. Livre. Dia 19/05, entre 0h30 e 03h30. Praça.

► CULTURA DIGITAL

  • Instalação multimídia interativa | VJ Alexis.  VJ explora tecnologias ligadas à arte-mídia, arte urbana e suas tendências nesta intervenção criada para Virada Cultural. Entre ações e experiências, vídeo Mapping e projeções com realidade aumentada na Torre Leste, projeção de trabalhos de artistas nacionais e internacionais na testeira da Comedoria e a partir da interação com o público via open call, projeção de imagens no paredão da Praça. Dia 18/05, das 18h às 23h59; Dia 19/05, das 0h às 5h.
  • Pac Man Motion & VideoPong. O meme Lab é um laboratório de mídias instáveis que trabalha com experimentação artístico-tecnológica, através de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias. Na intervenção, dois jogos são apropriados e subvertidos, possibilitando o contato com Pac-Man Motion e VideoPong, que são versões dos populares jogos Pac-Man e Pong em que, no lugar de utilizar um joystick, o público controla os personagens com movimentos. Livre.Dia 18/05, às 20h e 23h. Paredão da Praça.
  • DJ Craca. A performance segue uma estrutura jazzística de improviso em que primeiramente é apresentado um tema musical e depois é aberto o espaço para improvisação sobre esse tema, desconstruindo-o até sua reexposição final. As imagens respondem a esse estímulo, mas também se alternam com uma certa narrativa de intertextos em que é contada, de certa forma, a história desse personagem fictício O Homem Craca. Livre. Dia 19/05, 0h30. Paredão da Praça.

► ARTES PLÁSTICAS E VISUAIS

  • HQBR21 – O Quadrinho Brasileiro do Novo Século. Exposição dedicada à produção de histórias em quadrinhos no Brasil a partir da virada deste século. Não recomendado para menores de 16 anos. De 18/05, das 18h às 23h59. Dia 19/05, das 00h às 18h. Galpão.
  • Risco #3. Exposição voltada a artistas cuja poética se constrói a partir da investigação das chamadas linguagens tradicionais. A terceira edição, com o mote Cor Local, Ausência, Memória, reúne artistas cuja poética desenha territórios, memórias e espaços a partir do universo da cor e do aprofundamento de suas linguagens. Livre. De 18/05, das 18h às 23h59; Dia, das 0h às 18h. Térreo.
  • Vão | A Cabana do Vento | José Resende. Com um desenho que agrega em um só corpo sutileza e monumentalidade, o artista plástico José Resende apresenta a escultura A Cabana do Vento, um volume etéreo, um prisma esvoaçante de voil de nylon branco translúcido, em que habitam duas linhas negras que suavemente se movimentam. Livre. De 18/05, das 18h às 23h59. Dia 19/05, das 0h às 18h.
  • Dois Corpos no Mesmo Espaço | Guilherme Maranhão (instalação). Intervenção na convivência da unidade com o fotógrafo Guilherme Maranhão. Retratos, em múltiplas exposições, gerados por um lambe-lambe moderno. Livre. Dia 19/05, das 11h às 17h. Convivência.
  • Saída Fotográfica | Virada#1 (oficina). Produção de um conjunto de imagens tendo como foco a atmosfera da Virada Cultural. Pré-requisito: Conhecimentos avançados de fotografia, trazer equipamento fotográfico digital. Duração de 1 encontro. Orientação: Angela Di Sessa. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 18/05, das 19h às 01h, do domingo. Primeiro Pavimento. 20 vagas. Inscrições 30 minutos antes no local.
  • Saída Fotográfica | Virada#2 (oficina). Produção de um conjunto de imagens tendo como foco a atmosfera da Virada Cultural. Pré-requisito: Conhecimentos avançados de fotografia, trazer equipamento fotográfico digital (câmera e tripé). Duração de 1 encontro. Orientação: Renato Missé. Não recomendado para menores de 16 anos. Dia 19/05, da 01h às 07h. Primeiro Pavimento. 20 vagas. Inscrições 30 minutos antes no local.

► LITERATURA

  • Microrroteiros da Virada. Ambientação e intervenção a partir de microrroteiros de 140 caracteres (formato Twitter) criados pela artista Laura Guimarães a partir de histórias do público e do registro fotográfico de Cristian Cancino, tendo como tema a observação de cenas e acontecimentos da Virada Cultural do Sesc Belenzinho. Livre. Dia 18/05, das 18h às 23h59; Dia 19/05, das 0h às 06h. Praça.

► CINEMA E VÍDEO

  • Mestres de Ofício: Cordel e Repente. Este episódio, do Programa Coleções do SESC TV, apresenta o ofício dos cordelistas e repentistas de Timbaúba, em Pernambuco, que vêm sendo transmitidos de geração a geração. O artista Marcelo Soares, poeta-cordelista e xilógrafo, comenta as características do cordel, a produção da xilogravura e da importância dessa arte para a compreensão da cultura nordestina. Duração: 26 minutos. Livre. Dia 18/05, das 18h às 23h59; Dia 19/05, das 0h às 18h. Área de Convivência.
  • O Tempo da Vela. Autêntico culto ao samba realizado todas as segundas-feiras na Casa de Cultura Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo. Compositores, cantores, músicos e simpatizantes do samba se reúnem em volta de uma vela acesa para iniciar uma roda de samba. O ritual se inicia quando a vela é acesa e se estende até a vela apagar. Duração 52 min. Não recomendado para menores de 10 anos. Dia 18/05, das 18h às 23h59; Dia 19/05, das 0h às 18h. Área de Convivência.
  • Sambas: Partido Alto. Episódio do programa Coleções, que apresenta a tradição do samba de partido alto em Santa Luzia, no Rio de Janeiro. O partido alto é um duelo entre músicos, partideiros e quem mais quiser participar durante uma roda de samba de improviso. Duração 26 min. Livre. Dia 18/05, das 18h às 23h59; Dia 19/05, das 0h às 18h. Área de Convivência.
  • Frame Circus. A banda surgiu quando Paulo Beto convocou os músicos Tatá Aeroplano (Cérebro Eletrônico, Jumbo Elektro, Zeroum) e Maurício Fleury (Bixiga 70) para musicarem curtas-metragens mudos apresentados pela primeira vez no projeto Trilhas Metragens no final de 2006, realizado no SESC Paulista. O programa de curtas musicado pelo Frame Circus é formado por filmes experimentais, animações, e até uma produção colossal hollywoodiana, que compreendem o período de 1894 a 1934. Para criar as trilhas, o grupo utiliza diversos instrumentos, criando uma ambiência sonora rica em detalhes, demonstrando maneiras diferentes de se fazer o som relacionado à imagem. Livre. Dia18/05, às 21h30. Paredão da Praça.

► CORPO E EXPRESSÃO

  • TAI CHI CHUAN (aulas). A forma do Tai Chi tem por objetivo possibilitar ao praticante vivenciar os benefícios de movimentos básicos do Tai Chi Chuan tradicional como uma atividade física que tonifica a musculatura. Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários nos vestiários é necessário trazer cadeado. Dia 19/05, às 07h. Praça.

► INFANTIL

  • Hélio Ziskind - Maratona Álbum. O álbum conta a história de um grande jequitibá, palavra em língua tupi que seria O Gigante da Floresta, com mais de 1500 anos e cerca de 57m de altura que habitava a cidade mineira de Carangola e foi vítima de um incêndio criminoso. Uma história inteiramente real, que Hélio Ziskind transformou no musical O Gigante da Floresta. Livre.Dia 18/05, às 19h; Dia 19/05, às 12h. Teatro (292 lugares).
  • Histórias do que é e do que pode ser (contação de histórias). Com Cia Patética. Por que não transformar as roupas, os acessórios e os objetos em histórias? Será que as coisas podem ser outras coisas, além do que elas realmente são? Histórias do que é e do que pode ser brinca com essa possibilidade de dar novo significado ao que já conhecemos, criando histórias, personagens e situações a partir do que era, até então, inanimado. Livre. Dia 19/05, às 16h. Área de Convivência.

Fonte: VEJA SÃO PAULO