Especial

"Comer & Beber" 2013: vinhos por telefone ou internet

Brancos, rosés e tintos em lojas de importadoras que trabalham com vendas por telefone ou internet

Por: Marcelo Cobra - Atualizado em

vinho-ANDRE SPINOLA E CASTRO
Para montar um acervo etílico: lojas entregam garrafas em casa (Foto: Andre Spinola e Castro)

Abaixo, nove lojas de importadoras que trabalham apenas com vendas por telefone ou internet:

+ "Comer & Beber" 2013: as melhores lojas de vinhos da cidade

+ Tudo sobre o "Comer & Beber" 2013

Cellar: o acervo dessa importadora, com pouco mais de 400 rótulos, reúne apenas garrafas italianas e francesas. O responsável pela seleção é o arquiteto e especialista em vinhos Amauri de Faria, que privilegia etiquetas de pequenos e médios produtores. É ele quem indica, por exemplo, o toscano Morellino di Scansano Heba D.O.C. 2010 (R$ 80,00), que exibe em sua composição 85% de sangiovese e 15% de syrah. Da França, duas boas escolhas recaem sobre o Albert Mann Riesling 2011 (R$ 65,00), da Alsácia, e o tinto Michel Chignard Fleurie Les Moriers A.C. 2010 (R$ 70,00), da Borgonha, com aroma intenso de frutas vermelhas. Os pedidos, de no mínimo R$ 300,00, são aceitos apenas por telefone.Vendas somente pelo ☎ 5531-2419 (9h/18h, seg. a sex.) e consulta de catálogo em www.cellar-af.com.br.

CultVinho: possui um pequeno portfólio que agrupa apenas cinquenta rótulos, todos originários da Espanha. São lançamentos o branco Valdelainos 2011 (R$ 67,00), da Bodegas Pedro Escudero, do município de Rueda, um frutado exemplar feito apenas com a uva verdejo, e o tinto Dominio de Berzal Crianza 2008 (R$ 113,00),  um representante da Rioja que descansa por doze meses em barricas de carvalho americano e francês. Também da Rioja chega o Luis Alegre Crianza 2008 (R$ 120,00), que exibe no paladar notas tostadas e toques de especiarias. Até o fim do ano, a importadora deve acrescentar algumas etiquetas argentinas ao catálogo. Vendas pelo ☎ 5051-3650 e pelo site www.cultvinho.com.

Inovini by Aurora: a importadora Aurora ganhou em 2009 uma divisão dedicada exclusivamente aos vinhos, batizada de Inovini. Compõem seu portfólio 150 rótulos de 24 produtoras. A começar pelos sul-americanos, são boas escolhas em diferentes faixas o chileno Los Vascos Grande Réserve 2011 (R$ 85,00), corte de cabernet sauvignon, carmenère, syrah e malbec produzido pelo grupo francês Domaines Barons de Rothschild, e o argentino Finca Altamira Malbec 2011 (R$ 440,00), da Achaval Ferrer, este destacado com 96 pontos pela revista americana Wine Spectator. Entre os europeus, o espanhol Finca Constancia 2011 (R$ 77,00) passa treze meses em carvalho francês e americano. Vem da África do Sul o Ken Forrester Reserve Chenin Blanc 2012 (R$ 94,00), um branco encorpado com 14% de álcool. Vendas somente pelo ☎ 3623-2280 (compras de no mínimo R$ 300,00). www.inovini.com.br.

Península: o espanhol Javier Diaz Gabarain comanda esta importadora, que trabalha exclusivamente com rótulos de sua terra natal. O catálogo agrupa, no total, 148 etiquetas trazidas de 21 regiões. Duas boas sugestões de tinto são produzidas em Ribera del Duero: o Protos Roble Tempranillo 2010 (R$ 85,00), que descansa quatro meses em carvalho americano, e o célebre Aalto 2010 (R$ 362,00), criado pelo enólogo Mariano García e avaliado com 91 pontos pelo crítico Robert Parker. Da Rioja, o tinto Sierra Cantabria Selección 2009 custa R$ 59,00. O branco El Perro Verde 2011 (R$ 76,00), de Rueda, é feito 100% com a uva verdejo. Vendas somente pelo ☎ 3822-3986 e pelo site www.vinhosdaespanha.com.br. www.peninsulavinhos.com.br.

Qualimpor: criada em 1995 por João Roquette para importar rótulos da Herdade do Esporão, vinícola de propriedade do seu irmão, José Roquette, no Alentejo, a empresa hoje também representa a Quinta do Crasto e a Quinta dos Murças, ambas da região do Douro. Abaixo dos R$ 50,00, é possível encontrar no catálogo rótulos como o branco Flor de Crasto 2011 (R$ 48,00), com 12% de teor alcoólico e acidez equilibrada, e o tinto Monte Velho 2012 (R$48,00), blend das uvas aragonês, trincadeira, touriga nacional e syrah. Também tinto, o Assobio 2010 (R$ 69,00) descansa seis meses em barricas de carvalho francês e americano. Para uma ocasião especial, procure o Esporão Private Selection Tinto 2009 (R$ 283,00), um potente exemplar com 14,5% de álcool. A empresa também comercializa cavas da marca espanhola Freixenet, entre elas o Cordón Negro Brut (R$ 69,00). Vendas somente pelo ☎ 0800 7024492 e pelo site www.qualimpor.com.br.

Ravin: um simpático cão da raça pug, batizado de Gordo, é a mascote desta importadora. De uma vinícola que pertence à família Mandela, o sul-africano House of Mandela Thembu Collection 2012 (R$65,00) é elaborado com a uva pinotage e exibe boa acidez. Outras dicas entre os 300 rótulos do catálogo são o argentino Chento Vineyard Selection Malbec 2010 (R$ 89,00), avaliado com 89 pontos pela revista americana Wine Spectator, e o italiano Rèmole I.G.T. 2011 (R$ 75,00), da Marchesi de’ Frescobaldi, corte de sangiovese e cabernet sauvignon. Vendas pelo ☎ 5574-5789 e pelosite www.ravin.com.br. 

Todovino/Interfood: garrafas de sessenta produtoras, muitas delas bem conhecidas do público, como a chilena Santa Helena Selección del Directorio Cabernet Sauvignon 2010 (R$56,90), compõem o catálogo da importadora. Há outros 600 rótulos, que incluem o Misiones de Rengo Reserva Cabernet Sauvignon 2012 (R$ 42,90), produzido no Vale Central (Chile), o argentino Finca Las Palmas Malbec 2010 (R$ 71,90), da vinícola Trapiche, o tinto francês Côtes du Rhône E. Guigal 2009 (R$ 85,90), e o branco italiano Planeta Alastro 2010 (R$93,90). Há também etiquetas mais caras, caso do champanhe doce Taittinger Nocturne (R$ 324,90) e do Amarone della Valpolicella Classico 2009 (R$ 381,90), da vinícola Tommasi. Vendas pelo ☎ 2602-7266 (pedido mínimo de R$ 300,00) e também pelo www.todovino.com.br. 

Vinhos da Áustria: especializada em vinhos austríacos, a importadora trabalha com 46 rótulos de todas as regiões produtoras. Vinícola mais antiga daquele país, a Nikolaihof marca presença com dois elegantes brancos: o Hefeabzug 2011 (R$ 145,50), de acidez equilibrada e ideal para acompanhar carnes brancas, e o Von Stein2011 (R$ 189,70), um riesling com toques de damasco. De Viena, o Nussberg 2011 (R$ 120,50) exibe aroma cítrico e vem numa alongada garrafa com rolha de vidro. Também branco, o Lois 2011 (R$ 97,30), produzido por Fred Loimer, é feito com a principal uva local, a grünerveltliner. Entre os tintos, o Alter Rebs tock 2010 (R$ 117,90) combina as principais cepas nativas: zweigelt, sanktlaurent e blaufränkisch. Um pouco mais simples, o Zweigelt 2010 (R$ 77,50), da Sonnenmulde, repousa em carvalho austríaco por pelo menos seis meses. Vendas pelo ☎ 4306-6151 e consulta de catálogo em www.vinhosdaaustria.com.br.

Winebrands: algumas vinícolas conhecidas do público compõem o catálogo desta importadora, que exibe mais de 300 etiquetas. São exemplos a argentina Norton, presente com seu Privado 2010 (R$ 98,00), blend de malbec, merlot e cabernet sauvignon, e a italiana Antinori, que exibe dois tops de linha: o Marchese Chianti Classico Riserva 2009 (R$ 149,00) e o Guado al Tasso 2009 (R$ 521,00), além de um rótulo mais simples, o Le Maestrelle 2011 (R$ 73,00). Também da Itália vem o Tellus 2011 (R$ 77,00), da região do Lazio, um 100% syrah. Dos Estados Unidos, procure o Chateau Ste Michelle Indian Wells Merlot 2009 (R$138,00), que descansa por dezesseis meses em barricas novas de carvalho americano e francês.Vendas pelo ☎ 0800 771-5556 (pedidos acima de R$ 500,00 são isentos de frete) e pelo site www.winebrands.com.br. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO