Branco, tinto ou rosé

Vinhos leves e refrescantes para os dias quentes

Saiba quais tipos da bebida combinam com o verão e descubra dez bons rótulos na faixa de 50 reais

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Vinhos de verão
Vinhos brancos, rosés e tintos leves: ótimas pedidas para os dias quentes (Foto: ThinkStock)

Não é só a cervejinha gelada que refresca os dias mais quentes do ano. Alguns vinhos podem ser ótimas pedidas para almoços, jantares e até festas ao ar livre. Reconhecidos pela leveza e frescor, os brancos e rosés são servidos a temperaturas normalmente mais baixas que os tintos. “Eles são acolhedores, alegres, frutados. Têm tudo a ver com o verão”, diz a sommelière Jô Barros (ex-Arola Vintetres e ex- Dui).

Se até pouco tempo atrás os vinhos rosés eram mal vistos e pouco difundidos no Brasil, hoje esse quadro está mudando. “Dispomos de rótulos incríveis, muito sérios e gastronômicos”, defende a especialista, que sugere harmonizá-los com peixes e frutos do mar, como ostras e camarões. “Eles costumam ser secos, leves e descomplicados”, diz Tiago Locatelli, eleito o melhor sommelier no especial “Comer & Beber” de 2011. “Aposte nos da Provence, na França, de onde provavelmente saem os melhores rosados do mundo”, sugere.

Apesar de o calor reinar quase absoluto por aqui, a preferência dos brasileiros costuma recair sobre os tintos, frequentemente associados ao inverno e a comidas mais pesadas. “As pessoas se iniciam no mundo dos vinhos com essas garrafas. Pode ser difícil fazer o caminho contrário”, pondera Gabriela Monteleone, à frente da adega do premiado D.O.M. E para quem não abre mão da bebida avermelhada, a opção são os chamados tintos leves, do tipo Beaujolais ou elaborados com uvas pinot noir, por exemplo.

Assim como os brancos e rosés, esses vinhos permitem uma temperatura de serviço mais baixa. Enquanto os encorpados devem ser apreciados entre 18 e 20 graus Celsius, esses rótulos podem chegar a refrescantes 16 graus. “Brasileiro gosta de vinho mais frio, mas é preciso tomar cuidado para não extrapolar. Quando servido muito gelado, os aromas da bebida ficam mascarados”, explica Gabriela.

VINHOS BONS E BARATOS

Para ajudá-lo a encontrar vinhos refrescantes e de qualidade sem gastar muito, os três especialista citados acima, mais o sommelier do Grupo Fasano, Manoel Beato, elaboraram uma lista com dez sugestões na faixa de R$ 50. Veja a lista AQUI.

Fonte: VEJA SÃO PAULO