Cinessérie está de volta

Os dez vilões mais memoráveis de “Batman”

Interpretações de Heath Ledger, Jack Nicholson e Danny DeVito estão entre os melhores momentos da franquia

Por: Tiago Faria e Bruno Machado - Atualizado em

Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Bane (Tom Hardy) e Batman (Christian Bale): dupla está em 'Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge' (Foto: Divulgação)

Na superprodução “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, que estreia nesta sexta (27), um dos super-heróis mais populares dos quadrinhos tenta — mais uma vez — pôr fim a uma sina antiga: desde o longa-metragem de 1989, o Homem-Morcego é ofuscado pelo carisma irresistível dos vilões.

+ Saiba onde ver o novo "Batman" em IMAX e XD

+ De "Toy Story" a "Valente", a história da Pixar em filmes

As atuações de Heath Ledger e de Jack Nicholson, ambos no papel do psicótico Coringa, deixaram, por exemplo, uma impressão muito mais forte que as performances de Michael Keaton, Val Kilmer e George Clooney, três dos intérpretes do protagonista. Descontados vexames como a participação de Arnold Schwarzenegger em "Batman & Robin", no papel do infame Homem de Gelo, poucos foram os malvados que decepcionaram.

+ Os melhores filmes em cartaz; salas e horários

Desde “Batman Begins” (2005), o primeiro episódio dirigido por Christopher Nolan, a cinessérie passou a ressaltar a história do personagem principal. Ainda assim, a batalha contra o apelo dos antagonistas parece difícil. No novo capítulo, o terrorista Bane (Tom Hardy) e a Mulher-Gato (Anne Hathaway) criam obstáculos para o justiceiro mascarado, defendido por Christian Bale. Com ainda mais força na narrativa, o herói da DC Comics tenta tomar o filme para si. Mas será que desta vez ele consegue?

A seguir, confira um ranking com os dez vilões mais marcantes de uma franquia que já arrecadou 2,8 bilhões de dólares.

Heath Ledger em 'Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge'
(Foto: Reprodução)

1 – Heath Ledger (Coringa, em “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de 2008)

Desde que o diretor Christopher Nolan tomou as rédeas da cinessérie, em 2005, o Homem-Morcego (interpretado por Christian Bale) passou a ser tratado pelo cinema como um personagem complexo, atormentado por crises morais. Mas isso não impediu o domínio absoluto do Coringa de Heath Ledger no segundo (e melhor) episódio da trilogia do cineasta. Morto em janeiro de 2008, em decorrência de uma intoxicação provocada por uso de remédios, o australiano mudou padrões do gênero ao transformar o vilão dos quadrinhos num serial killer perturbador. A performance foi premiada com uma estatueta póstuma de melhor ator no Oscar do ano seguinte.

Jack Nicholson em "Batman"
(Foto: Reprodução)

2 – Jack Nicholson (Coringa, em “Batman”, de 1989)

Sem a densidade psicológica do Coringa de Heath Ledger, mas com sarcasmo e charme excêntrico, o vilão sádico vestiu perfeitamente o ator Jack Nicholson. São muitas as diferenças entre as duas interpretações. Para compor o personagem, Ledger escolheu o caminho do realismo. Já Nicholson entendeu o espírito fantasioso do filme de Tim Burton e criou um tipo bizarro e engraçado, que parece ter saltado diretamente de um gibi. O Batman de Michael Keaton ficou pequeno perto de tanta extravagância.

Danny DeVito em "Batman - O Retorno"
(Foto: Reprodução)

3 - Danny DeVito (Pinguim, em “Batman – O Retorno”, de 1992)

Para entender por que “Batman – O Retorno” está entre os filmes prediletos dos fãs do herói, basta olhar os vilões: o Pinguim de Danny DeVito e a Mulher Gato de Michelle Pfeiffer (que ocupa a sexta posição nesta lista) estão entre as criações mais acertadas de Tim Burton. Em um episódio que carrega nas tintas góticas, o diretor parece fascinado por criaturas tão malvadas quanto melancólicas. Quase irreconhecível sob camadas de maquiagem, DeVito ajuda o cineasta a criar um vilão todo particular, tão ganancioso e marrento quanto os velhos personagens de fitas de gângsteres.

Liam Neeson em "Batman Begins"
(Foto: Reprodução)

4 – Liam Neeson (Ra’s Al Ghul, em “Batman Begins”, de 2005)

O vilão de Neeson representa muito bem o tom da segunda trilogia do herói, mais realista. Sem os traços caricatos dos antagonistas que o Homem-Morcego acostumou-se a enfrentar, o personagem é cheio de intenções duvidosas. No começo da trama, ele surge como um mentor de Batman. Não demora, e ele revela um plano de “curar o mundo”. Para o roteirista David Goyer, Ra’s Al Ghul tem algo de Osama bin Laden.

Tom Hardy em "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge"
(Foto: Divulgação)

5 – Tom Hardy (Bane, em “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, de 2012)

Até “Batman e Robin”, de Joel Schumacher, Bane era um brutamontes sem expressão, interpretado sem qualquer brilho pelo lutador de vale tudo Jeep Swenson, morto em 1997. Na lente de Christopher Nolan, em “Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, o grandalhão ganhou uma personalidade transtornada. O maior responsável por isso é Tom Hardy (de “Bronson”), que deu ao personagem uma voz gutural e expressão ao seu corpo gigantesco. Bane é uma terrorista cruel e inteligente que planeja acabar com Batman e Gotham City usando uma arma de destruição em massa.

Michelle Pfeiffer em "Batman - O Retorno"
(Foto: Reprodução)

6 – Michelle Pfeiffer (Mulher-Gato, em “Batman – O Retorno”, de 1992)

Em “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, a nova-iorquina Anne Hathaway bem que tentou criar uma versão mais pé-no-chão da vilã. Mas não consegue apagar as lembranças da interpretação de Pfeiffer. Com aval do diretor Tim Burton, a atriz compôs uma ex-secretária vingativa, que faz de tudo (até seduzir Bruce Wayne) para se voltar contra um mundo que a desprezou.

Aaron Eckhart em "Batman - O Cavaleiro das Trevas"
(Foto: Reprodução)

7 – Aaron Eckhart (Duas Caras, em “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de 2008)

Disputar o trono da vilania com o Coringa de Heath Ledger é, digamos, missão impossível. Apesar disso, Aaron Eckhart (de “Obrigado por Fumar”) cumpriu com dignidade o desafio de humanizar o homem da lei que, com o rosto desfigurado, se torna um vingativo sanguinário. Como costuma acontecer com os vilões da trilogia de Nolan, o personagem ganha uma personalidade contraditória, sem esbarrar na caricatura. Pode ser interpretado como um herói que perdeu a linha e se excedeu – por isso, ficou mais plausível que a versão caricata do vilão interpretada por Tommy Lee Jones em “Batman Eternamente”.

Jim Carrey em "Batman Eternamente"
(Foto: Reprodução)

8 – Jim Carrey (Charada, em “Batman Eternamente”, de 1995)

Os dois episódios da série que foram assinados por Joel Schumacher (“Batman Eternamente” e “Batman e Robin”) tentaram provocar mais risos que aflição. Os equívocos foram muitos, e os fãs não perdoam quase nenhum, mas Jim Carrey conseguiu embarcar na proposta exagerada do diretor ao compor um Charada à beira da histeria. Vestido num colorido gritante, o funcionário da empresa de Bruce Wayne passa a inventar enigmas cruéis quando o patrão rejeita uma de suas criações.

Tommy Lee Jones em "Batman Eternamente"
(Foto: Reprodução)

9 – Tommy Lee Jones (Duas Caras, em “Batman Eternamente”, de 1995)

Em “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, o Duas Caras interpretado por Aaron Eckhart teve que competir por espaço na trama com o Coringa de Heath Ledger. Treze anos antes, Tommy Lee Jones também não teve muita sorte com o personagem, que ficou à sombra de um outro vilão: o Charada de Jim Carrey. Tal como Eckhart, no entanto, Jones não caiu no ridículo - defendeu o tipo revanchista com o carisma de sempre.

Anne Hathaway em "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge"
(Foto: Reprodução)

10 – Anne Hathaway (Mulher-Gato, em “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, de 2012)

Indicada a três prêmios Oscar, Michelle Pfeiffer fez de sua Mulher-Gato em “Batman – O Retorno” (1992) um de seus melhores papéis. No último filme da trilogia de Christopher Nolan, quem assume o personagem é Anne Hathaway (“O Diabo Veste Prada”). Ela é responsável por conferir leveza ao filme e, até mesmo, alguns momentos de humor. Diferentemente do personagem vivido por Michelle Pfeiffer, que não tem nada a perder, a Mulher-Gato de “O Cavaleiro das Trevas Ressurge” é uma ladra que deseja limpar sua ficha criminal e recomeçar a vida.

Fonte: VEJA SÃO PAULO