Mistérios da Cidade

Graça, a noiva sem cabeça de Higienópolis

Roupa passa o dia pendurada a uma árvore numa viela da Rua Piauí

Por: Marcelo Moura (com reportagem de Catarina Cicarelli e Isabella Villalba) - Atualizado em

Graça, a noiva sem cabeça de Higienópolis - Bibi Barcellos
Tecido é lavado a cada dois meses, reformado anualmente e protegido por um guarda-chuva (Foto: FOTO FERNANDO MORAES)

A estilista Bibi Barcellos não tinha espaço em seu ateliê para guardar o vestido de noiva que fizera para um ensaio de moda, em 2006. Por isso, Graça (esse é o nome da roupa, em homenagem à princesa Grace Kelly) passa o dia pendurada a uma árvore numa viela da Rua Piauí, em Higienópolis. Para resistir ao ar livre por tanto tempo, o tecido é lavado a cada dois meses, reformado anualmente e protegido por um guarda-chuva. Mães do bairro levam crianças para ver a noiva bailando ao sabor do vento. Há quem tenha medo, ache que é fantasma. Certa vez, Bibi flagrou rapazes escarafunchando a saia. Bêbado, um deles se desculpou: “A gente não resistiu à dúvida e veio saber se ela usa calcinha”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO