Protestos

Vereador diz que manifestante arruaceiro deve ser tratado como torcedor brigão

Projeto de lei de Conte Lopes quer proibir o uso de máscaras em manifestações em São Paulo

Por: Juliana Deodoro - Atualizado em

Protesto black blocs
Manifestantes seguem para o Palácio dos Bandeirantes  (Foto: Nataly Costa)

O vereador Conte Lopes apresentou um projeto de lei na Câmara para proibir o uso de máscaras em manifestações na cidade de São Paulo. O texto foi aprovado nesta semana na Comissão de Constituição e Justiça e ainda precisa passar por mais duas comissões e pelo plenário em duas votações. Depois de todo esse procedimento legislativo, o projeto precisa ser sancionado pelo prefeito.

Na justificativa da lei, o vereador, que é ex-policial da Rota, diz: "A não identificação do manifestante faz com que exista a impossibilidade de que possa assumir os seus atos e ao mesmo tempo o torna invencível. Mascarados e armados se infiltram nas manifestações pacíficas com o único intuito de provocar desordem e promover quebradeira em bens públicos e particulares."

conte lopes
O vereador Conte Lopes (Foto: Divulgação)

Confira abaixo a entrevista com Conte Lopes.

Por que o senhor resolveu propor essa lei?

Todo mundo tem que se identificar para a autoridade policial. As máscaras não só atrapalham as manifestações como, no fim, a polícia acaba escoltando os criminosos durante as manifestações.Nas últimas semanas espancaram um coronel em via pública e fecharam a Fernão Dias. As pessoas não podem andar sem documento, vão poder andar mascaradas? 

Vários policiais já foram flagrados em manifestações sem identificação. Não é um contraponto?

Os policiais são obrigados a usar identificação; Se não estiverem identificado pelo menos estão mostrando a cara.

O senhor é a favor do uso de armas não letais, como bala de borracha em manifestações?

Acho que a polícia pode usar os artíficios que possui para conter as manifestações, inclusive a bala de borracha. Na década de 80, o Lula fazia manifestação e nós corríamos atrás dele. São armas que não matam. Se não tiver esses artifícios, a polícia não vai ter nada para usar.

O senhor acha que manifestantes devem ser tratados como torcedores de futebol?

O cara que vai para o campo de futebol para bater e matar pessoas deve ser preso. Da mesma forma deve acontecer com o manifestante. Ninguém pode sair quebrando tudo e batendo nas pessoas e ficar tudo bem.

No Rio, a aprovação de uma lei semelhante gerou protestos de toda a sociedade, inclusive com pessoas indo fantasiadas às ruas.

Isso não é baile de carnaval, é uma coisa concreta. A polícia tem que coibir pessoas que vão para rua cometer crimes. Alguém tem de fazer alguma coisa para permitir que a polícia faça o que tem de fazer.

Fonte: VEJA SÃO PAULO