Negócio

Venue entra na briga pelos formandos

De olho no mercado das festas de colação, empresários inauguram casa especializada em Alphaville

Por: Daniel Salles

Venue
Venue: 30 milhões de reais de investimento (Foto: Rodrigo Marostegam)

No estado de São Paulo, onde funcionam 556 instituições de ensino superior — frequentadas por 1,3 milhão de alunos, um quarto dos universitários do país —, calcula-se que sejam realizadas mais de 1.000 festas de formatura a cada ano. É um universo agitado, dominado por rapazes engalanados e garotas de vestidos longuíssimos e penteados elaborados. E também um filão milionário: estima-se que o faturamento anual das empresas responsáveis por organizar as celebrações dos estudantes paulistas gire em torno de 200 milhões de reais.

Concentradas entre novembro e março, as festas de conclusão de curso saem em média por 200.000 reais, o que obriga cada formando a desembolsar perto de 2.000 reais, com direito a dez convites para o baile. Algumas cerimônias, como as organizadas pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), para mais de 10.000 pessoas, chegam a custar 1,5 milhão de reais. Tamanho investimento nem sempre garante noitadas impecáveis. “Como hoje faltam lugares adequados, os bailes de graduação acabam sendo realizados em casas de shows, galpões ou ginásios, nos quais é preciso improvisar cozinha, palcos e banheiros”, diz o empresário Maurício Ubiratan, sócio da agência Delphos Formaturas, uma das maiores do gênero na capital. Disposto a resolver o problema — e lucrar ainda mais com esse mercado —, ele se uniu a outros empresários para construir uma casa capaz de abrigar formaturas com conforto. 

Sócios do Venue - 2205
Os sócios Paulo Leal, Maurício Ubiratan e Ricardo Piochi: escolheram montar o negócio em Alphaville (Foto: Fernando Moraes)

O resultado da iniciativa leva o nome de Venue e ocupa um terreno de 30.000 metros quadrados em Alphaville, no município de Santana de Parnaíba, a 30 quilômetros de São Paulo. “Escolhemos essa região pela facilidade de acesso e porque quase não existem áreas livres na capital”, explica Ricardo Piochi, outro responsável pelo empreendimento, em funcionamento desde o início do mês. Com 8.000 metros quadrados de área e 12 metros de pé-direito, a Venue tem capacidade para até 7.500 pessoas (5.000 delas sentadas). No estacionamento cabem 2.500 veículos, e está sendo negociada a instalação do sistema de pagamento automático Sem Parar/Via Fácil. 

Um mezanino de 1.500 metros quadrados com direito a dois bares exclusivos é destinado aos convidados vip. Amplos e espelhados banheiros, com 106 reservados no total, tentam evitar filas durante as festas. Os comes e bebes vêm de uma bem equipada cozinha de 400 metros quadrados. “A intenção é não sermos surpreendidos com a falta de comida ou de gelo”, afirma Ubiratan. A temperatura é controlada por aparelhos de ar condicionado, que a cada hora empurram para o ambiente 800.000 metros cúbicos de ar renovado. 

Venue - 2205
Casa arrumada no último sábado (12) para receber alunos de jornalismo e publicidade da PUC: 350.000 reais por seis horas de festa (Foto: Mateus Josan)

À noite, a fachada, com suas curvas iluminadas por projetores coloridos, lembra uma enorme escultura. Em formato retangular, o salão principal também pode ganhar um palco e arquibancadas para receber apresentações musicais. “Estamos preparados para abrigar qualquer tipo de evento, inclusive grandes shows”, diz outro sócio, Paulo Leal. Ele fala com conhecimento de causa. Um dos fundadores do Credicard Hall, na Zona Sul, o empresário presenciou a tumultuada estreia da casa de espetáculos, em 1999, imortalizada pela apresentação do cantor João Gilberto, que esbravejou contra a acústica. Vaiado, ele retrucou para a plateia: “Vaia de bêbado não vale”. “Ele tinha razão, a decoração, com pouca madeira, favorecia o eco”, afirma Leal. Para evitar constrangimentos do tipo, dos 30 milhões de reais investidos na Venue, quase 2 milhões foram reservados para o sistema de som. “Não quis correr o risco de receber a mesma crítica”, diz.

Fonte: VEJA SÃO PAULO