Cultura

VEJA SÃO PAULO selecionou trinta programas gratuitos

A 28ª Bienal é uma das dezenas de atrações gratuitas que a cidade oferece. Além desse importante evento de arte, há outras opções como shows e peças de teatro para crianças

Por: Dirceu Alves Jr., Helena Galante, Jonas Lopes - Atualizado em

VEJA SÃO PAULO selecionou trinta programas gratuitos
Os escorregadores do artista belga Carsten Höller: do 2º e 3º andares ao térreo do prédio da Bienal (Foto: Fernando Moraes)

Bienal

Playground, shows e muito papo-cabeça

O curador da 28ª Bienal de São Paulo, Ivo Mesquita, perde a paciência quando alguém chama o evento que começa neste domingo (26), no Ibirapuera, de A Bienal do Vazio. "Nós nunca nos referimos a ela assim", afirma. "Há muita coisa para ver." Bem, nem tanta coisa assim. Em 2006, foram convidados 118 artistas de 51 países. Agora, são 42 nomes de 21 países. Mas vazio mesmo só o 2º andar do pavilhão projetado por Oscar Niemeyer ? o mezanino tem um video lounge para exibição de filmes. Chamado de Praça, o térreo terá apresentações de bandas como Los Super Elegantes, grupos de dança e performances. "Queremos reunir ali o público não especializado", diz Mesquita. "Dependemos da captação pública de dinheiro e seria hipocrisia expor para pouca gente." Grande parte dos 9 milhões de reais previstos no orçamento da Bienal vem da prefeitura e de recursos captados via Lei Rouanet.

Algumas obras prometem ser divertidas. É o caso do playground da argentina radicada no Brasil Carla Zaccagnini, montado no Parque do Ibirapuera. O esforço coordenado de crianças que brincarem ali fará funcionar um chafariz. Já os escorregadores do belga Carsten Höller levarão os visitantes do 2º e 3º andares ao térreo. A programação prevê ainda atrações inusitadas. Entre 4 e 16 de novembro, por exemplo, o santista Maurício Ianês circulará pelo prédio da Bienal dependendo dos espectadores para se vestir, comer e dormir. No início, ficará nu. "Estou me preparando inclusive para ser ignorado", afirma Ianês. "Pretendo suportar pelo máximo tempo possível."

Está a fim de um papo mais cabeça? O 3º andar estará direcionado à discussão sobre a utilidade do atual modelo de bienais. Em uma arena ocorrerão debates e conferências. Ao mesmo tempo, uma série de 23 exposições se dedicará ao trabalho de documentação e memória. Ali, a sérvia Marina Abramovic apresentará a instalação Galeria de Retratos em Vídeo

Fonte: VEJA SÃO PAULO