Teatro

'O Casamento', adaptado da obra de Nelson Rodrigues, surpreende o público

Dirigida por Johana Albuquerque, a peça baseada no romance de 1966 arranca interjeições da plateia

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

O Casamento — Teatro
Daniel Alvim e Diana Bouth: montagem surpreendente (Foto: Alexandre Catan)

Adaptado e dirigido por Johana Albuquerque, o romance O Casamento de Nelson Rodrigues lançado em 1966 arranca interjeições de espanto da plateia em algumas cenas. Em tom de tragicomédia, a trama centra-se em Sabino (Renato Borghi), um rico industrial da construção civil, e sua adorada filha Glorinha (Diana Bouth). Na véspera do casamento da garota, o pai é avisado de que o genro (o ator Daniel Alvim) foi visto beijando outro homem. A encenação traz uma discussão irreverente sobre a hipocrisia social, e Johana flertou com o espírito de cabaré para escapar do melodramático. Da mesma forma, as cenas de sexo e nudez são capazes de aumentar a surpresa do espectador. Nessa estética perigosa, os sete atores apresentam sintonia. Diana Bouth convence como Glorinha, enquanto Borghi reforça a personificação rodriguiana. Elcio Nogueira, Maurício de Barros, Vera Bonilha e Regina França também se encaixam em registros diversos, mas o destaque é Daniel Alvim. Ele se aproveita de estereótipos opostos para construir Teófilo, o noivo gay, e Antônio Carlos, o garotão que seduz Glorinha, e consegue uma bem-sucedida fusão entre os objetivos da direção e a essência do autor.

Fonte: VEJA SÃO PAULO