Comidinhas

Valrhona, grife francesa de chocolates, chega ao Brasil

Novo espaço é quiosque no Shopping Iguatemi. Loja maior, nos Jardins, está prevista para março

Por: Helena Galante - Atualizado em

valrhona
Vitrine de perdições: barras e bombons têm matéria-prima de origem controlada (Foto: Fernando Moraes)

Aberta em 1922, a fábrica francesa Valrhona elabora chocolates que estão entre os melhores do mundo. Seus produtos, feitos a partir de matéria-prima selecionada de países como Equador e República Dominicana, são valorizados por ter aromas e sabores exuberantes. Aqui, porém, eles eram um tanto desconhecidos, por não dispor de loja própria. A situação mudou com a abertura, no último dia 5, de um pequeno quiosque no Shopping Iguatemi. Importados em navios e aviões refrigerados, os bombons gourmets prometem conquistar os paladares paulistanos.

Da linha ao leite, prove o Jivara, composto de 40% de cacau, extrato natural de baunilha e leite integral. Mais suave, o Tanariva leva 33% de cacau. Cada barra de 70 gramas custa R$ 18,00. Vendida apenas em embalagem de 250 gramas, a aveludada versão branca sai por R$ 45,00. Quem aprecia notas amargas encontra uma caixinha de seis tabletes de 5 gramas cada um por R$ 16,00. Intensos, eles têm até 85% de cacau, caso do Abinao. Há também uma série de chocolates com o ano da safra marcado no rótulo — como nos vinhos. Todos de 2009, o Gran Couva, o Palmira e o Ampamakia vêm de Trinidad e Tobago, Venezuela e Madagáscar, respectivamente (R$ 29,00 a unidade de 75 gramas). Para o início de março, está prevista a inauguração de uma loja maior, nos Jardins. Ali, os clientes poderão experimentar as guloseimas harmonizadas com café, vinho, uísque e pratos salgados.

Fonte: VEJA SÃO PAULO