Sucesso

"Vale Tudo": o que dizem os veteranos

Grandes nomes da novela falam sobre a reprise no Canal Viva

Por: Iva Oliveira - Atualizado em

Vale Tudo - Danton Mello - Flávia Monteiro - Íris Bruzzi - João Camargo
Atores de 'Vale Tudo' relembram a cena memorável em que o personagem Marco Aurélio (Reginaldo Faria) 'dá uma banana' aos brasileiros, ao deixar o país (Foto: Rodrigo Lopes)

 Veja abaixo alguns dos atores mais marcantes:

Beatriz Segall - Vale Tudo
(Foto: Paula Kossatz)

Beatriz Segall (Odete Roitman) - "Consegui assistir a alguns capítulos e vi pela primeira vez a cena em que minha personagem é assassinada. Realmente foi um trabalho maravilhoso de toda a equipe. A maneira como o suspense foi conduzido também foi muito legal. É, sem dúvida, uma das novelas mais bem feitas da Rede Globo. Agora estou esperando que eles reprisem 'Água Viva', que também foi maravilhosa. Acho que de tanto comentarem sobre a novela, até os jovens começaram a se interessar e passaram a assistir à reprise." 

"Vale Tudo" se despede (de novo)

Renata Sorrah - Vale Tudo
(Foto: Mauricio Melo)

Renata Sorrah (Heleninha Roitman) - “Os jovens de hoje se interessam por ‘Vale Tudo’ porque reconhecem o que é bom. A novela tinha aquela química que raramente acontece: era a hora certa, no lugar certo, com as pessoas certas. Tive a sorte de fazer papeis fortes. A Heleninha cativa porque é frágil, desamparada...” 

Regina Duarte - Vale Tudo
(Foto: Renata Xavier)

Regina Duarte (Raquel) – “Consegui assistir a 60% dos capítulos de ‘Vale Tudo’ e essa repercussão é incrível. Sinto como se estivesse no ar às 21 horas, na Globo. As pessoas voltaram a me reconhecer nas ruas. Antes de ‘Vale Tudo’, dificilmente me abordavam quando eu estava sem maquiagem, sem estar ‘montada’, mas agora me reconhecem de qualquer jeito. Sinto um carinho enorme, uma repercussão fantástica. É incrível!" 

Cássia Kiss - Vale Tudo
(Foto: Rafael Campos)

Cássia Kiss (Leila) – “Não assisti a nenhum capítulo de ‘Vale Tudo’ porque a novela já foi, já passou. Não tenho o menor interesse, mas entendo que o público queira ver. A novela é sobretudo uma história bem contada e acho que, quando isso acontece, o sucesso é inevitável.” 

Reginaldo Faria - Vale Tudo
(Foto: João Miguel Junior)

Reginaldo Faria (Marco Aurélio) – “Acredito que os jovens de hoje gostem de ‘Vale Tudo’ porque a trama fala de uma época que eles não viveram. É um fascínio político e cultural. Hoje eles vivem em um grande vazio neste sentido. Atualmente, têm um modelo de vencer na vida completamente diferente do que a gente tinha.” 

Cássio Gabus Mendes - Vale Tudo
(Foto: Renato Rocha Miranda)

Cássio Gabus Mendes (Afonso) – “Não tenho o hábito de rever o meu trabalho, mas pedi para gravar a novela em DVD. Quero guardar. Lembro-me do sucesso que foi na época. As pessoas queriam acompanhar até os ensaios para as gravações. A gente passava a cena no Jardim Botânico e lembro uma vez que o estúdio estava cheio. No caso da morte da Odete Roitman, foi uma surpresa até para nós a revelação do assassino.” 

Danton Mello - Vale Tudo
(Foto: Rodrigo Lopes)

Danton Mello (Bruno) – “É engraçado me ver garotinho, mas, na verdade, aquela já era a minha quarta novela. O que sinto saudades daquela época é de a produção ser mais artesanal. Gravávamos na própria emissora, no Jardim Botânico (no Rio), ainda não havia Projac. A cena da morte da Odete Roitman, por exemplo, gravamos uma semana antes. Hoje, grava-se no mesmo dia. Naquela época também não tinha essa perseguição às celebridades que existe hoje.” 

Rosane Gofman - Vale Tudo
(Foto: Mauricio Melo)

Rosane Gofman (Consuelo) - “Vi alguns capítulos de ‘Vale Tudo’, mas dá uma certa “deprê” porque eu era muito novinha naquela época, né?! [risos] A novela foi um marco na história da televisão e era muito legal fazer, ser reconhecida nas ruas, aquele alvoroço todo. Foi a primeira vez que trabalhei com Lília Cabral, uma grande atriz. Depois fizemos outros trabalhos juntas.” 

Flávia Monteiro - Vale Tudo
(Foto: Rodrigo Lopes)

Flávia Monteiro (Fernanda) – “Consegui ver alguns capítulos de 'Vale Tudo' e estou achando ótima esta repercussão. Foi meu primeiro trabalho na tevê e percebo que a novela continua muito atual. A única coisa que não gosto é me ver com aquele cabelo de juba e minha voz de 'apito'. Tudo bem que era voz de adolescente, mas hoje acho muito estranho. [risos]. O figurino era muito ridículo. Sobre a repercussão na época, eu me lembro como se fosse hoje de todo mundo comentando, parando a gente em todos os lugares, principalmente nos aeroportos." 

Íris Bruzzi  - Vale Tudo
(Foto: Rodrigo Lopes)

Íris Bruzzi (Eunice) - “Quem não gosta de se ver 20 anos mais jovem? Acho que envelheci bem, mas é bom se ver mocinha. Tenho acompanhado a repercussão sobre a novela e fico muito feliz. Acho que voltou a fazer sucesso porque é muito atual, contemporânea. Além disso, o Gilberto [Braga] foi muito feliz na escalação dos atores. Dos colegas daquela época, convivo muito com a Flavinha Monteiro, mas vivo me encontrando com outros atores porque sou muito festeira. Outro dia mesmo encontrei o Gilberto.” 

Fábio Villa Verde - Vale Tudo
(Foto: Waldemir Filetti)

Fábio Villa Verde (Thiago) - "Tenho visto a novela e também estou gravando. É muito bom relembrar porque se trata de um momento muito feliz da teledramaturgia brasileira. Quando me vejo, sinto saudade porque, afinal, hoje sou um senhor de 40 anos. [risos!] Também sinto falta dos colegas e daquela repercussão toda, mas isso faz parte da profissão, ou seja, a gente passa oito meses grudados e depois nos vemos raramente. Atualmente, me encontro mais com o Marcelo Novaes. Acho que 'Vale Tudo' tem uma linguagem muito atual, por isso os jovens de hoje se identificam." 

João Camargo - Vale Tudo
(Foto: Rodrigo Lopes)

João Camargo (Freitas) - “Infelizmente, não tenho tido tempo de ver ‘Vale Tudo’, mas a novela é ótima. Para mim, é ainda mais importante porque foi meu primeiro trabalho na televisão. A novela virou cult e acho que os jovens gostam porque continua atual. Tenho saudades dos colegas da época. Convivo mais com o Reginaldo Faria, que sempre foi um companheirão. É emocionante ver a novela e relembrar o nosso trabalho. Só não tenho saudade do figurino, que era muito ridículo.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO