Mistérios da Cidade

USP tem vizinhança problemática

Participante do assassinato de estudante mora na favela São Remo, que fica próxima à universidade

Por: Maurício Xavier [com reportagem de Daniel Salles e Isabella Villalba]

Portão favela São Remo USP 2222
Portão na favela São Remo: acesso à USP (Foto: Fernando Moraes)

O comerciante Irlan Graciano Santiago confessou no dia 9 ter participado do latrocínio do estudante Felipe Ramos de Paiva em um estacionamento da USP no mês passado — seu comparsa, suposto autor do disparo, está foragido. Sem antecedentes criminais, ele pôde voltar para casa, na favela São Remo. Ela se formou em um terreno da universidade a partir de 1967 e tem até um portão de acesso ao câmpus. Veja alguns números da favela:

- 2.000 casas

- 5.600 moradores

- 92.900 metros quadrados de área

- 60% de vias pavimentadas

- 40% das ruas com iluminação

+ Assassinato de estudante reacende medo na USP

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO