Verão

Turistas terão de pagar pedágio para acessar praia de Ilhabela

Desde terça (18), Parque Estadual está cobrando 12 reais de quem deseja visitar ponto turístico; prefeito critica a cobrança

Por: Veja São Paulo

Roteiro - Off-road - Castelhanos - 2246a
Castelhanos: trilha geralmente é percorrida em cerca de duas horas (Foto: Divulgação)

Os turistas e veranistas que costumam visitar Ilhabela, no Litoral Norte, deverão preparar ainda mais o bolso. Desde terça (18), o Parque Estadual está cobrando um "pedágio" de 12 reais para quem acessa a Praia dos Castelhanos, um dos pontos turísticos mais visitados do arquipélago.

A medida, em vigor às vésperas do feriado prolongado da Consciência Negra, foi criticada pelo prefeito Antonio Colucci (PPS), que teme a evasão de turistas da cidade. Para chegar a Ilhabela, o visitante desembolsa 22,50 reais (aos finais de semana) para a travessia das balsas e 6,50 reais de taxa ambiental para sair da ilha.

"Somos contra a cobrança por entendermos que essa medida poderá afugentar os turistas, nossa principal indústria", disse o prefeito, que entrou em entendimentos com o governo do estado para municipalizar o Parque Estadual de Ilhabela.

A Fundação Florestal passou a cobrar a taxa pela utilização da estrada que dá acesso à Praia de Castelhanos, pelo fato dela cortar o Parque Estadual. "Seria justificável se a taxa fosse aplicada a quem quisesse fazer as trilhas ou caminhadas dentro do Parque, por exemplo. A praia não está inserida dentro do Parque Estadual", completou Colucci.

O pagamento do "pedágio" não é garantia de chegar à praia. A Fundação Florestal limitou em 167 o número de veículos que podem chegar até a praia, sendo 42 carros de passeio, 65 jipes de passeios turísticos cadastrados e sessenta motos. Veículos de moradores são isentos, segundo o órgão. A taxa é isenta para quem trafegar a pé ou de bicicleta.

Ilhabela - 2220
Vista da Praia de Castelhanos (Foto: Vanessa de Paula / PMI)

De acordo com a Fundação Florestal, a cobrança está prevista dentro no plano de implantação da estrada (Resolução Conjunta SMA/ST nº 004/2010), que determina que o órgão é responsável por operar e controlar o uso da via. "Os valores arrecadados contribuirão com o custeio da operação da Estrada-Parque Castelhanos", disse a entidade em nota.

Em relação à comunidade local, segundo a fundação, será adotada a política de ingressos já utilizada em outras Unidades de Conservação e prevê que os moradores de Castelhanos sejam isentos, bem como os que possuírem segunda casa no local; munícipes terão desconto de 70%. Em casos específicos, a isenção poderá ser concedida pelo órgão gestor do parque, mediante agendamento e solicitação prévia.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO