Turismo

Três lojas em Paris para compras de personalidade

É na capital francesa que se renova o guarda-roupa em grande estilo

Por: Simone Esmanhotto - Atualizado em

Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos
Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos (Foto: Divulgação)

Não se enganem, rapazes. Mulheres amam a capital francesa em primeiro lugar porque, muito além do cenário perfeito para o romance, é lá que se renova o guarda-roupa em grande estilo. Selecionamos três endereços para cair de amores:

 

+ 400 presentes de Natal inspirados em viagens dos sonhos

+ Confira o mapa da volta ao mundo

+ As Boas Compras: Paris

 

Outlet grifadíssimo

Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos
Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos (Foto: Divulgação)

Azzedine Alaïa é uma dessas etiquetas favoritas das mulheres bem-vestidas. E com M maiúsculo — aquelas que amam acentuar as curvas, sem sacrificar a elegância, e adoram um pretinho. Por isso mesmo esse costureiro tunisiano, embora não esteja entre os nomes ultraconhecidos, tem lugar garantido no closet de muitas brasileiras. As roupas (e os saltos) que ele faz caem como uma luva no gosto nacional. O complicado é achar algo que caiba também no bolso. As peças das coleções atuais de Alaïa, vendidas em lugares como o Le Bon Marché, custam bem caro (vestidos de tricô, 3 000 euros). Por isso esse outlet é um achado— e quem conhece não quer compartilhar o endereço. Não espere pechinchas absolutas: vestidos flutuam na casa dos 700 euros, sapatos na casa dos 450 euros. Mas, em se tratando de uma moda atemporal e de um Alaïa, considere um investimento inteligente.  A loja é pequenina, dentro de um pátio típico no Marais, e a rua é uma delícia para bater perna. Não há placas, a porta de vidro fica fechada e a vendedora tem cara de quem chupou limão azedo. Pois erga o queixo e não se intimide com a dose de antipatia também típica da Paris de salto alto. Entre nem que seja para provar no corpo o efeito emagrecedor de um vestido Alaïa.

18, rue de la Verrerie, 4ème. De segunda a sábado, das 10h às 19h.

Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos
Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos (Foto: Divulgação)
Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos
Criador e criaturas: Alaïa, um vestido e um sapato perfeitos (Foto: Divulgação)

 

Fast fashion classe A

Nova (e segunda) coleção de Vanessa Seward para A.P.C.: design demais, preço de menos
Nova (e segunda) coleção de Vanessa Seward para A.P.C.: design demais, preço de menos (Foto: Divulgação)

Faz 25 anos que Jean Touitou entrou para a moda com a proposta dos sonhos: usar materiais de alta qualidade — pense seda e algodão do bom — para roupas do dia-a-dia. Funcionou tanto que hoje a A.P.C., acrônimo para Atelier de Production et de Création, está na agenda até de Victoire de Castellane, designer responsável pela alta joalheria da Dior. Touitou aposta nos clássicos do estilo francês — camiseta-marinheiro (190 euros), calça colorida (180 euros), saia A de couro (330 euros), sapatilhas (125 euros). A linha masculina, por onde, aliás, o empresário entrou na moda, também vale. O jeans, feito com denim do Japão, fez a fama da A.P.C.. Mas a marca também aposta nas colaborações, a exemplo de Zara e H&M. A diferença é que as peças têm muito mais qualidade. Quem assina o feminino agora é Vanessa Seward, argentina que passou pela batuta de Karl Lagerfeld na Chanel, Tom Ford na YSL e assinou por sete anos as roupas da Azzaro. As peças da nova e segunda coleção têm preço médio de 250 euros.

112, Rue Vieille du Temple. De segunda a sábado, das 11h30 às 20h; domingo, das 13h30 às 19h30. 

Nova (e segunda) coleção de Vanessa Seward para A.P.C.: design demais, preço de menos
Nova (e segunda) coleção de Vanessa Seward para A.P.C.: design demais, preço de menos (Foto: Divulgação)

 

Brechó sem mofo

Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres
Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres (Foto: Divulgação)

Emilio Pucci é o nome que vem à mente quando se pensa em estampas sobre jérsei de seda, chiffon, organza — de seda. Mas há uma dupla que faz fama desde o fim dos anos 5o decalcando flores sobre esses tecidos finos. Daniel Tribouillard continua à frente da maison Léonard, que fundou com Jacques Léonard. Menos onipresente do que a italiana Pucci, a francesa Léonard tem como marca registrada o uso das flores de cores fortes contrastadas com o preto, mas oncinha e o buquê mais leve e romântico também fazem parte do repertório. A marca acaba de trocar de estilista: o italiano Raffaele Borriello (ex-Balmain, ex-Gucci, ex-Sonia Rykiel, ex-YSL) assina o verão 2013. Mas como o estilo Léonard não envelhece, vale buscar as peças de coleções passadas, assinadas por estilistas como Maxime Simoens e Véronique Leroy. É justamente a especialidade do Betty, um brechó no bairro da Bastilha. Fica totalmente fora do circuito salto alto Saint-Honoré, mas aqui as peças — novinhas em folha — custam até um quinto do valor original. O bacana é se programar para almoçar no mercado d'Aligre, vizinho ao endereço, e depois gastar as energias fazendo compras. 

Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres
Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres (Foto: Divulgação)

10, place d'Aligre. De terça a sábado, 10h às 13h e das 16h às 19h; domingos, das 10h às 13h.

Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres
Léonard, coleção de verão 2013: estampas sobre tecidos nobres (Foto: Divulgação)

Fonte: VEJA SÃO PAULO