Turismo

Chile e Argentina estreiam novas atrações de inverno

Cidades como Bariloche e Temuco correm atrás do prejuízo para melhor aproveitar a temporada das neves

Por: Júlia Gouveia

Bariloche - Turismo - 2327
Bariloche, o destino favorito: 25 milhões de reais em melhorias (Foto: Divulgação)

A temporada de esqui nas principais estações da Argentina e do Chile foi iniciada na semana passada, mas as cidades que vivem do negócio no Hemisfério Sul já respiravam aliviadas desde o fim de maio, quando os primeiros flocos começaram a cair. Esse entusiasmo não é para menos: nos últimos quatro anos, destinos como Bariloche e Valle Nevado entraram, não apenas literalmente, numa fria. Uma série de imprevistos, que começaram com o surto da gripe suína, em 2009, passaram pelo caos provocado pela erupção do vulcão chileno Puyehue, em 2011, e culminaram na escassez de neve em 2012, fez com que muitos turistas cancelassem a viagem. “Esta, sem dúvida, é a hora da recuperação”, diz Eduardo Gaz, diretor da SKIBrasil, uma das principais operadoras nacionais do segmento. Trata-se de uma boa notícia para os adeptos paulistanos, que formam o grosso dos frequentadores do país nas temporadas de inverno. Segundo estimativas da empresa, cerca de 65 000 esquiadores da capital embarcam pelo menos uma vez a cada três anos rumo a centros especializados no turismo do gelo.

+ Veja imagens de estações de inverno no Chile e na Argentina

Corralco - Turismo -  2327
A chilena Corralco: agora, é possível se hospedar ali (Foto: Divulgação)

Com a calmaria restabelecida, as estações se preparam para receber seus esquiadores com uma série de novidades. A maior delas está no Chile: foi inaugurado no sábado (15) o Valle Corralco Hotel & Spa (o pacote com quatro diárias custa a partir de 1 841 dólares por pessoa). Localizada nas proximidades da cidade de Temuco (a cerca de 700 quilômetros de Santiago), a estação de Corralco antes funcionava em esquema de day use, pois ali não havia opções de hospedagem. Com o hotel de luxo, ela tem tudo para virar point: são 25 pistas forradas com neve no estilo powder (mais seca), a preferida dos entendidos no assunto. Um dos centros de esqui favoritos dos brasileiros (que são cerca de 70% dos visitantes), Valle Nevado investiu 75 milhões de reais em um recém-inaugurado teleférico, que leva os passageiros desde o estacionamento até uma base no meio da montanha.

Tabela - preços - Turismo
(Foto: Veja São Paulo)

Os centros nevados no lado argentino da Cordilheira dos Andes também passaram por remodelações. Bariloche, onde são esperados 30 000 brasileiros para a temporada (30% deles vindos do estado de São Paulo), injetou em torno de 25 milhões de reais em melhorias diversas, das obras em estradas à construção de um quebra-vento de 150 metros de extensão que favorece o acúmulo de neve. Las Leñas, na região de Mendoza, completa trinta anos em 2013. Entre os destaques, estão a nova pista Bumps, ideal para manobras radicais, e o Parque Aventura, com atrações destinadas a famílias, como a snow tubing, em que se desliza ladeira abaixo em botes infláveis. No extremo sul do continente, Cerro Castor, em Ushuaia, ganhou um teleférico de 1 300 metros de comprimento e um prédio de serviços diversos, como bilheterias, bares e lojas. A família da publicitária Laura Covre já está de malas prontas para embarcar pela segunda vez de São Paulo rumo a Portillo, em julho. “Chegamos a viajar três vezes por ano para esquiar”, conta Laura. Os anfitriões argentinos e chilenos os esperam esfregando as mãos — de alegria, não de frio.

Fonte: VEJA SÃO PAULO